Bolsas de Estudo
Os antibióticos ou antimicrobianos são medicamentos que combatem as infecções. Basicamente, atuam de duas formas distintas: o antibiótico bactericida destrói as células bacterianas e o bacteriostático inativa as bactérias, impedindo que estas se multipliquem.


A descoberta do primeiro antibiótico foi feita pelo médico inglês Alexander Fleming em 1928, durante seus estudos sobre o Staphylococcus aureus. Fleming percebeu que a presença de mofo (fungo Penicillium) nas placas inibia o crescimento da bactéria. Assim, concluiu que o fungo secretava uma substância capaz de destruir a bactéria: a penicilina. Foi o ponto de partida para o desenvolvimento dessa importante área da microbiologia.

Os antibióticos são classificados de acordo seus mecanismos de ação na célula bacteriana, como membrana celular, parede celular, síntese de proteínas, síntese de ácidos nucleicos e síntese de compostos metabólicos biológicos. Os três principais mecanismos são descritos abaixo:


Inibidores da síntese de proteínas
Os antibióticos têm como alvo principal o ribossomo bacteriano 70S, composto de uma pequena subunidade 30S e uma grande subunidade 50S. O ribossomo é uma molécula composta de proteínas e RNA, essencial e responsável pela síntese de proteínas. Os aminoglicosídeos, macrolídeos e outros inibidores da síntese de proteínas previnem estágios específicos de síntese proteica em locais específicos. A morte bacteriana ocorre porque a célula não consegue produzir proteínas necessárias para os processos celulares essenciais. Os humanos e outras células eucarióticas sintetizam proteínas usando um ribossomo 80S, que não é alvo desses inibidores.

Inibidores da síntese de ácidos nucleicos
Esses antibióticos atingem diferentes estágios e vias da síntese de ácido nucleico (DNA, RNA). Em resumo, os antifolatos (incluindo sulfonamidas) inibem as enzimas envolvidas na síntese de ácido fólico / folato (vitamina B9). O folato é um componente essencial para a síntese de pirimidina e purinas, duas moléculas encontradas nos nucleotídeos. Os inibidores da topoisomerase impedem a replicação do DNA por inibir a atividade da enzima topoisomerase, que atuam no enovelamento do DNA durante sua replicação. Com isso, a taxa de divisão celular é diminuída. Os humanos adquirem folato de fontes dietéticas, não têm uma via de síntese para o folato e não são afetados por antifolatos da mesma forma a qual as bactérias são. Apesar das topoisomerases serem encontradas nas células humanas, a composição molecular difere das encontradas nas bactérias.

Inibidores da síntese da parede celular
Este grupo de antibióticos inibe estágios na síntese da parede celular bacteriana. Um componente estrutural importante na parede celular bacteriana (maior em bactérias Gram-positivas) é o polímero essencial peptidoglicano. Os antibióticos beta-lactâmicos, por exemplo, ligam-se a PBPs (Penicillin Binding Proteins) que estão envolvidas nos estágios finais da síntese de peptidoglicano. Ao inibir a função das PBPs, o peptidoglicano não pode ser sintetizado adequadamente e a célula é lisada. As células humanas não possuem e não sintetizam o peptidoglicano, portanto, não são suscetíveis a estes antibióticos.

Comente!

Postagem Anterior Próxima Postagem
---
Manual da Coleta de Sangue Venoso
Adquira o seu exemplar
Seja um afiliado e venda o nosso manual - saiba como
---
---
Quer tirar fotos do microscópio com o seu celular?
Conheça o Citohelper
Utilize o cupom BIOMEDBRASIL e ganhe R$ 10 de desconto
---