Bolsas de Estudo
Tatiana Miranda de Carvalho Serran é biomédica pela PUC Goiás em 2001, especialista em Acupuntura pelo CEATA em 2004 e especialista em Docência Universitária pela Faculdade Araguaia em 2007. Em 2010, esteve em Beijing (China) para atualização em medicina chinesa. Foi docente da PUC Goiás no curso de Biomedicina, onde implantou a matéria optativa de Acupuntura na grade curricular da instituição. Foi Presidente da Comissão de Acupuntura do CRBM-3 de 2010 a 2014 e é membro da Associação Biomédica de Acupuntura (Abiomac). Docente do Instituto Tahan, Incursos, IEPG, também é especialista em Acupuntura na Saúde da mulher: infertilidade, gestação, parto e pós-parto.
Contato  E-mail: tatimc@gmail.com


Entrevista

Quando despertou o interesse pela Acupuntura?
Tatiana Miranda - Quando estava quase me formando em Biomedicina, sabia que não queria apenas trabalhar em bancada. E, tendo visto meu histórico de pesquisa com o CNPq e o contato com os pacientes do Hospital das Clínicas de Goiás, eu resolvi que queria algo além de analisar amostras e laudar exames, e sim manter o contato com o paciente. E, no momento, teria duas opções, ou Acupuntura ou Engenharia Genética. Confesso que as duas me encantavam. Mas, na mesma época fui surpreendida por um amigo com uma sessão de Acupuntura de presente, e amei! Me vi fazendo aquele trabalho, me encontrei. Um trabalho onde poderia ter o contato com meu paciente, atender individualmente e personalizar meu trabalho. Um consultório, uma luz baixa, uma música sublime de fundo, uma boa energia. A partir daí comecei a buscar as melhores escolas de especialização na área, quando no final escolhi o CEATA de São Paulo. Foram dois anos maravilhosos, de muito aprendizado. Mas sabia que era apenas o começo, e seis anos depois, fui conhecer o berço da Medicina Chinesa e me especializar um pouco mais.

O mercado de trabalho oferece muitas oportunidades nessa área?
Tatiana Miranda - Por clinicar e ser docente da área, vejo um crescimento na procura pela especialização em Acupuntura. Infelizmente todo início é complicado e o profissional liberal deve ter persistência a fim de alcançar seus ideais, assim como em toda profissão. Hoje em dia existe um mercado mais aberto, alguns planos de saúde aceitam profissionais não-médicos. Essa briga com planos de saúde é constante, e a própria ANS é contra essa reserva de mercado. O mercado poderia ser mais promissor se não houvesse tanta briga de classe, onde a saúde da população pudesse ser o alvo principal e não essa rixa. Quando estive em Beijing, vi o que é realmente a saúde publica funcionar. Dentro de um mesmo hospital tem a ala de medicina ocidental e a ala de medicina oriental. Uma complementando a outra e não competindo. E o paciente passando pelas duas, sendo tratado integralmente.

Quais são os prós e os contras da Acupuntura?
Tatiana Miranda - A Acupuntura tem várias vantagens: é uma técnica da Medicina Chinesa que trata a causa do problema, trata o paciente holisticamente. Em poucas sessões pode-se restabelecer o fluxo energético e o paciente se sentir melhor, sem a ação de nenhum medicamento. E, é bom tratar em conjunto com a medicina alopática, auxiliando no processo de cura. 
Como desvantagem vejo apenas o fato de ser uma terapia que, por não ser aceita por alguns planos de saúde, pode sair um pouco caro para o cliente. Mas isso depende da visão de cada um, do que é ser caro. Na minha visão sai muito mais caro comprar caixas e caixas de medicamentos por mês que, muitas vezes, apenas mascaram o sintoma. Outra suposta desvantagem é que muitas pessoas têm medo de agulhas, mas hoje em dia podemos fazer os estímulos nos acupontos com outros materiais, como o laser, o magneto e a pastilha de silício.

Suas considerações finais.
Tatiana Miranda - Enfim, acredito que se todos pudessem receber pelo menos uma sessão de Acupuntura para experimentar seus benefícios, muitos se tornariam adeptos e se livrariam de alguns padrões energéticos tão recorrentes. Tenho ainda a esperança que o mercado de Acupuntura para profissionais que não sejam médicos melhore, pois o que temos que ter em mente é que o pré requisito para uma pós graduação nessa área é que se tenha um diploma na área de saúde, com algumas matérias básicas como fisiologia humana, anatomia humana, patologia humana. O resto é aprendido, inicialmente, em 2 anos de curso, com uma visão totalmente voltada para a medicina chinesa, onde o diagnóstico não é nosológico e sim energético. Não se fala em patologia e sim em síndrome energética. Acredito que a saúde para ser plena deve ser voltada para o físico, o mental e o espiritual. Obrigada pela oportunidade em apresentar um pouco da minha grande paixão, a medicina chinesa para os meus colegas biomédicos. E, me coloco a disposição caso alguém precise de alguma informação.

Comente!

Postagem Anterior Próxima Postagem
Apostila Digital
Citohelper