Bolsas de Estudo
A Toxicologia é o estudo científico dos efeitos adversos que ocorrem nos organismos devido à exposição aos compostos químicos. Abrange a observação, relato de sintomas, mecanismos de detecção e tratamentos nos casos de intoxicação relacionados tanto aos seres humanos quanto aos diversos ecossistemas. Basicamente, se divide em Toxicologia Analítica ou Química, Toxicologia Clínica ou Médica e Toxicologia Experimental.

Dentre os produtos estudados, estão os compostos químicos, sejam eles de fontes naturais ou antropogênicas, e medicamentos utilizados na prevenção e tratamento de doenças. Estes compostos podem produzir efeitos tóxicos nos organismos, que vão desde alterações celulares sem evidência clínica, até distúrbios nos padrões de desenvolvimento (uma linha específica da Toxicologia, chamada de Teratogênese), intoxicações severas e morte.


Um dos principais pilares da Toxicologia é a relação exposição vs. resposta, uma vez que há relação direta entre a quantidade de toxicante em que o organismo está exposto e a resposta apresentada.

“Todas as substâncias são venenos; não existe uma que não seja veneno. A dose certa diferencia um veneno de um remédio” - Paracelso (1493-1541).

Outras variáveis, como período de exposição (agudo ou crônico), vias de exposição (trato gastrointestinal, respiratório, dérmico, intravenoso, etc.) e condições fisiopatológicas do indivíduo também são de extrema importância para o estudo toxicológico.

Os métodos toxicológicos, tanto de análise dos agentes quanto de avaliação das lesões causadas em seres vivos, servem de importantes subsídios para a Farmacologia que, por sua vez, estuda especificamente os agentes terapêuticos e diagnósticos. De maneira recíproca, os métodos farmacológicos são bastante úteis na elucidação dos mecanismos de ação de agentes tóxicos. Deste modo, existe uma estreita relação entre a Toxicologia e a Farmacologia e muitas áreas de atuação são comuns às duas especialidades.

Teoria

A Toxicologia é uma ciência multidisciplinar, que envolve principalmente química, biofísica, biologia celular e molecular, bioquímica, genética, fisiologia e farmacologia. Como complemento em sua formação, o profissional deve demonstrar habilidade na integração destas disciplinas e na resolução de problemas, uma vez que a análise pode envolver grandes quantidades de dados.

Resoluções

Para ser especialista, mestre ou doutor em Toxicologia, os biomédicos devem realizar cursos de pós-graduação lato sensu ou stricto sensu, respectivamente. Para inclusão da habilitação em Toxicologia pelo Conselho Regional de Biomedicina, o profissional biomédico deverá obter sua experiência comprovada das seguintes maneiras: pelo título de especialista da Associação Brasileira de Biomedicina (ABBM; onde se faz necessário outros pré-requisitos além de estágio/atuação na área, tempo de atuação, cursos de pós-graduação reconhecidos pelo MEC, etc.), na conclusão da graduação (via estágio supervisionado de 500 horas) e nas residências multi-profissionais ou biomédicas, mediante comprovação de tempo de atuação ou residência (consultar requisitos via CRBM ou ABBM).


Prática

O biomédico habilitado em Toxicologia pode trabalhar em diferentes áreas e pode ser capaz de fazer uma contribuição substancial para a segurança pública, seja através da identificação de produtos químicos tóxicos ou assegurar um risco aceitável nos que serão desenvolvidos. Entre as diversas linhas de atuação, destacam-se a Toxicologia ambiental, Toxicologia de alimentos, Toxicologia de medicamentos e cosméticos, Toxicologia ocupacional e Toxicologia social.

A área acadêmica possibilita o trabalho em universidades ou na participação de pesquisas nos centros de investigação. Como toxicologista clínico, atua em hospitais e unidades regionais de toxicologia. A ecotoxicologia aborda todos os riscos e perigos que envolvem o ambiente e o ecossistema. A toxicologia forense tem campo em laboratórios forenses credenciados pelo governo, tanto particulares como públicos. Na indústria, utiliza a biotecnologia no desenvolvimento de produtos químicos ou alimentos. Um toxicologista da área ocupacional avalia os riscos do trabalhador frente a produtos nocivos, assim como os reguladores têm função de garantir a saúde e segurança, fiscalizando produtos e empresas. Com uma experiência considerável, o toxicologista pode até complementar sua renda como autônomo, oferecendo consultorias para empresas e instituições.

Além do trabalho em laboratórios, o biomédico pode atuar em pesquisas de campo na Ecotoxicologia (Foto: University of California Santa Cruz).

As tarefas variam dependendo da atuação, mas em geral o profissional especializado estará apto a:

 isolar, identificar, analisar substâncias tóxicas e seus efeitos nocivos sobre os seres humanos, animais, plantas ou ecossistemas;
→ planejar e executar estudos, considerando os sistemas biológicos de plantas e animais;
→ analisar e avaliar dados estatísticos para elaboração de relatórios;
→ aconselhar sobre o manuseio seguro de substâncias tóxicas;
→ estudar efeitos de substâncias químicas nocivas, agentes biológicos e overdose de drogas nas pessoas, com aconselhamento sobre o tratamento dos pacientes afetados;

Para evoluir na carreira, o biomédico pode optar por um mestrado ou doutorado, relacionados com a sua área específica na Toxicologia. Além da progressão na vida profissional, alguns empregadores apoiam e patrocinam essas iniciativas.

Perspectiva da carreira

A carga horária dos toxicologistas geralmente é estável, com horários regulares de segunda à sexta. Dependendo do trabalho, alguns plantões noturnos e aos finais de semana podem ser necessários. Profissionais mais experientes podem receber ótimos salários, influenciados pelo porte e, principalmente, pela localização da empresa.

7 Comentários

  1. eu gostava de ser esclarecida sobre toxicologia - Será que alguém pode esclarecer as minhas dúvidas ? Em 1991 , puseram na minha comida e bebidas um pó branco muito fino . Isto durou talvez 9 meses , até eu dar por conta . O meu pai morreu , mas estava realmente muito doente , e eu desde essa altura que tenho vindo a ter doenças muito graves . Pelo que li na internet há pouco tempo , quer os meus sintomas , quer os do meu pai , assim como as doenças graves que tive , encaixavam perfeitamente em " cloreto de mercúrio ". Eu fiz queixa no Ministério Público em Portugal , mas infelizmente houve muita corrupção , e não fui analisada , nem o meu pai , nem o meu filho ! Pergunto : Pelos relatórios médicos e de enfermagem dos hospitais onde o meu pai esteve internado , o meu pai apresentava vários sintomas de envenenamento por químicos tóxicos , além de outros sintomas que eu e outras pessoas observaram , como tremores , forte rubor facial , etc ; Também a sua morte , segundo li na internet , enquadra na morte por químicos tóxicos . Quanto a mim , quer os sintomas que senti , quer as doenças graves que tive , têm todas a ver com mercúrio ! O que pretendo saber , é se um especialista em toxicologia pode concluir que se tratou efetivamente de mercúrio ? Não consegui ser atendida no Instituto de Medicina Legal , e não existem médicos particulares de medicina legal ! O que devo fazer ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, os exames toxicológicos podem indicar se você ou sua família foi contaminada com algum produto químico prejudicial à saúde.

      Excluir
  2. Qual a opinião a respeito do curso de Toxicologia Analítica de Porto Alegre? http://www.ufcspa.edu.br/index.php/cursos/toxicologia-analitica

    ResponderExcluir
  3. A 4 meses me deram e enganado em meu trabalho 1 frasco de koltrine sc25 e apesar de exames tenho me sentido a cada dia pior, é uma pertubação medonha tenho vontade de morrer, um biomédico em toxicologia seria mais apropriado para exames, pois tenho me tratado pelo sus e é um atraso triste e creio que em breve terei condições de me tratar, desde já agradeço sua atenção.

    ResponderExcluir
  4. Como que um biomédico pode se habilitar na área de toxicologia na pós graduação? Tem algum concurso público?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thais, o biomédico pode se habilitar realizando cursos de pós-graduação lato sensu (toxicologia clínica, por exemplo) e/ou stricto sensu (mestrado e doutorado). Os concursos públicos dependem da necessidade das instituições que oferecem cargos nesta área.

      Excluir

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
---
Manual da Coleta de Sangue Venoso
Adquira o seu exemplar
Seja um afiliado e venda o nosso manual - saiba como
---
---
Quer tirar fotos do microscópio com o seu celular?
Conheça o Citohelper
Utilize o cupom BIOMEDBRASIL e ganhe R$ 10 de desconto
---