12.10.17

Novo valor de referência para a Vitamina D

A Sociedade Brasileira de Patologia Clínica / Medicina Laboratorial (SBPC/ML), por meio de seu diretor de ensino e médico patologista clínico Carlos Eduardo dos Santos Ferreira, recentemente anunciou uma mudança no valor de referência para a Vitamina D.


O comunicado foi feito ao público durante o 51º CBPC/ML, em 2017. O valor normal, que era de 30 ng/mL, agora passa a ser aceito a partir de 20 ng/mL. Tal alteração ocorre porque de acordo com resultados de estudos recentes, pessoas que apresentam dosagens de 20-30 ng/mL não necessitam de reposição da vitamina.

Essa modificação do valor referencial também já era discutida há algum tempo pelo Departamento de Metabolismo Ósseo e Mineral da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - SBEM. Segundo o departamento, pessoas com dosagens inferiores a 10 ng/mL podem evoluir para osteomalácia e raquitismo. As que apresentam dosagens entre 10 e 20 ng/mL têm baixo risco de perda de massa óssea. Para pessoas saudáveis, é recomendado que esteja acima de 20 ng/mL, e valores entre 30 e 60 ng/mL são aceitáveis para grupos como idosos, gestantes e demais pacientes.

É importante destacar que a reposição da vitamina deve ser feita exclusivamente com acompanhamento médico. Quando os valores ultrapassam 100 ng/mL, a vitamina se torna tóxica ao organismo e também pode elevar o risco de hipercalcemia. Sintetizada a partir da exposição da pele aos raios ultravioletas B (UVB), a Vitamina D também pode ser encontrada em alimentos ou na forma comercial, em cápsulas e comprimidos.

COMPARTILHE

Autor(a):

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.

0 comentários: