Últimas Novidades

Meio de identificação IAL / Rugai

Conhecida como meio IAL (Instituto Adolfo Lutz),  a série bioquímica composta por nove provas foi inicialmente desenvolvida em 1972, por Pessoa & Silva, na qual um meio possibilitava a pesquisa da motilidade e da descarboxilação da lisina. Em 1986, tais provas foram testadas em uma segunda adaptação, com mais reações obtidas no meio clássico de Rugai & Araújo.

Este meio de identificação possibilita todas as reações em um único tubo, verificando basicamente a presença de enzimas, emissão de gás e motilidade. As provas bioquímicas são motilidade da bactéria pela turvação da lisina, lisina descarboxilase, fermentação da glicose, fermentação da sacarose, produção de gás sulfídrico (H₂S), produção de gás, utilização do aminoácido L-triptofano (desaminação), hidrólise da ureia e formação de indol. Em adição, realiza-se a verificação da fermentação de lactose em ágar MacConkey e o teste de citrato, não inclusos no meio.

Elaborado para a triagem de enterobactérias, vibrios e não-fermentadores, o meio IAL permite a identificação dos principais gêneros e espécies de bactérias Gram-negativas: Escherichia coli, Shigella spp., Enterobacter spp., Klebsiella spp., Providencia spp., Morganella morganii, Proteus spp., Salmonella spp., Citrobacter spp., Serratia spp., Vibrio spp. e não-fermentadores.

Pela elevado número de provas bioquímicas em apenas um tubo, é necessário ter prévio conhecimento durante a interpretação do teste. A dificuldade para diferenciar gêneros com resultados de provas bioquímicas similares exige a realização de provas adicionais, como a enzima ornitina por exemplo.


A inoculação é feita com o auxílio de um fio de platina, no qual o microbiologista coleta a amostra da colônia bacteriana, inocula com uma picada até o fundo do tubo e realiza estrias na superfície do meio. Em seguida, o meio é incubado em estufa a 37°C por 18-24 horas.

Realiza-se a leitura das provas comparando-as a uma tabela padronizada, na qual são exibidos os perfis bioquímicos das principais espécies bacterianas pesquisadas. É importante salientar que a caracterização correta de espécies de Enterobacter spp.Serratia spp. Pseudomonas deve ser feita com provas complementares.

TABELA DE INTERPRETAÇÃO DAS PROVAS