Últimas Novidades

Pesquisa abre caminho para criação de bancos de células-tronco hematopoiéticas

Um estudo recententemente publicado na revista Nature Cell Biology por uma equipe de cientistas nacionais e internacionais pode ajudar na criação de bancos de células-tronco hematopoiéticas, contribuindo para o tratamento de leucemias e outras doenças hematológicas.


A equipe brasileira, coordenada pelo professor Alexander Birbrair no Departamento de Patologia do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), contribui com grupos dos Estados Unidos e Japão, em busca da compreensão dos mecanismos de diferenciação celular na medula óssea, assim como a comunicação existente entre os microambientes vasculares.

"O organismo protege as células hematopoiéticas em lugares muito especiais. No indivíduo adulto, a maior parte delas está na medula óssea, e algumas poucas, no baço. Apesar dos avanços na área, é difícil encontrar doador de medula óssea compatível, e a quantidade desse material é pequena. Algumas pessoas precisam de um segundo transplante", ressalta o professor Alexander Birbrair.

Embora conhecidas, as células hematopoiéticas não são obtidas com eficiência em laboratório justamente pelo desconhecimento das sinalizações químicas no organismo. Devido à necessidade de manter uma reserva de células superpotentes, o organismo mantém uma regulação no microambiente da medula óssea para garantir que o processo ocorra. Por isso, os pesquisadores estudam formas de mimetizar esse ambiente para o cultivo artificial, com todas as sinalizações químicas necessárias.

A grande descoberta da pesquisa foi o mecanismo de comunicação entre os pericitos (localizados nas arteríolas e sinusoides dos ossos) e as células-tronco hematopoiéticas, por proteínas e citocinas. Os cientistas identificaram duas citocinas principais (Stem Cell Factor - SCF e CXCL12) e mostraram que a inibição da CXCL12 altera o estado de manutenção das células da medula.

Com resultados promissores, o grupo pretende desvendar ainda mais os processos de sinalização celular. O domínio desse conhecimento possibilitará a criação de bancos de células-tronco com grande capacidade de proliferação e diferenciação em todas as células sanguíneas do organismo.

Acesse o artigo, publicado na revista Nature Cell Biology.
Site do laboratório: www.icb.ufmg.br/birbrair
Título: Contribuição diferente de citocinas das células perivasculares para os nichos das células-tronco hematopoiéticas.
Autores: Noboru Asada, Halley Pierce, Alexander Birbrair e Paul S. Frenette, vinculados ao Albert Einstein College of Medicine e ao Mount Sinai Center for Bioinformatics (EUA); Zichen Wang, Nicolas F. Fernandez e Avi Ma’ayan, vinculados ao Mount Sinai Center for Bioinformatics (EUA); Yuya Kunisaki, da Kyushu University (Japão).

Nenhum comentário