3.2.17

Espermograma e análise do sêmen

A análise do sêmen exibe o volume, número e a qualidade dos espermatozoides que o homem produz. Normalmente, é o primeiro teste para detectar problemas de fertilidade e fornecer informações importantes sobre uma vasectomia bem-sucedida ou casos de reversão do procedimento.


Durante a ejaculação, o sêmen é produzido a partir de uma suspensão concentrada de espermatozoides armazenados nos epidídimos, misturados e diluídos por secreções dos órgãos sexuais acessórios, principalmente a próstata e as vesículas seminais.

Os principais parâmetros macroscópicos e microscópicos analisados durante um espermograma são: cor, aspecto, volume, tempo de liquefação, concentração, número total de espermatozoides, morfologia, motilidade, vitalidade, pH, presença de leucócitos e bactérias.

Cor e aspecto: análise macroscópica que pode indicar alguma anormalidade na amostra.

➧ Volume: indica o volume total do sêmen após a ejaculação.

➧ Tempo de liquefação: de aspecto viscoso, o sêmen começa a se tornar líquido dentro de poucos minutos após a ejaculação.

➧ Concentração: avaliação do número de espermatozoides por mL em uma amostra.

➧ Número total: quantidade total de espermatozoides, obtida pela multiplicação da concentração pelo volume da amostra.

➧ Morfologia: análise do formato e tamanho dos espermatozoides, incluindo a cauda.

➧ Motilidade: avaliação de espermatozoides móveis e imóveis.

➧ Vitalidade: análise da presença de formas mortas ou viáveis de espermatozoides, por integridade da membrana celular.

➧ pH: análise da acidez (pH baixo) ou alcalinidade (pH elevado) do sêmen.

➧ Contagem de leucócitos: pesquisa de leucócitos na amostra de sêmen.

Coleta

Antes da coleta, recomenda-se um período de abstinência sexual entre 2 e 7 dias. A amostra de sêmen é coletada em um frasco estéril após masturbação sem uso de lubrificantes e normalmente é realizada em uma sala privada ou um banheiro de clínicas e laboratórios.

Coletas em casa não são recomendadas pelo tempo de transporte da amostra, que deve ser entregue ao laboratório dentro de uma hora sem exposição à luz ou temperaturas extremas. O processamento imediato do sêmen fornece resultados rápidos, que estão disponíveis de um dia após a coleta.

► Cor e aspecto
A amostra normal é homogênea, viscosa e tem coloração branca opalescente.

► Volume de sêmen
normal ⟶ igual ou superior a 1,5 mL por ejaculação.
anormal ⟶ volumes alterados de sêmen podem causar problemas de fertilidade.

► Tempo de liquefação
normal ⟶ de 20 a 30 minutos após a coleta.
anormal ⟶ tempos de liquefação mais longos podem indicar uma infecção.

► Concentração
normal ⟶ igual ou superior a 15 milhões de espermatozoides por mL. O valor pode ser zero se o homem foi submetido a uma vasectomia.
anormal ⟶ concentrações inferiores a 15 milhões indicam oligozoospermia, que pode ser leve, moderada ou grave.

► Número total
normal ⟶ igual ou superior a 39 milhões de espermatozoides.
anormal ⟶ se a concentração de espermatozoides é baixa ou nenhum espermatozoide é observado, deve-se suspeitar de oligozoospermia ou azoospermia, respectivamente.

► Morfologia
normal ⟶ igual ou superior a 4% dos espermatozoides com forma oval regular.
anormal ⟶ os espermatozoides amorfos possuem características evidentes, como duas cabeças ou duas caudas, cauda curta, formato cônico, piriforme, cabeça pequena ou partida, entre muitas outras.


► Motilidade
normal ⟶ mais de 32% do espermatozoides têm movimento normal e progressivo e mais de 40% do total com movimento após 1 hora.
anormal ⟶ se os espermatozoides não forem capazes de realizarem o movimento progressivo, haverá dificuldade na fecundação.

► Vitalidade
normal ⟶ superior a 58% de formas viáveis de espermatozoides na amostra de sêmen.
anormal ⟶ é importante identificar se os espermatozoides imóveis estão vivos ou mortos. O resultado da vitalidade deve ser analisado em conjunto com a motilidade.

► pH
normal ⟶ o pH do sêmen é neutro, de 7,1 a 8,0.
anormal ⟶ um pH alto ou baixo pode matar os espermatozoides e afetar a sua motilidade.

► Leucócitos
normal ⟶ ausência de leucócitos ou bactérias no sêmen.
anormal ⟶ presença de leucócitos ou bactérias indicam infecção.

Certas condições estão ligadas a uma contagem baixa de espermatozoides, sua ausência ou morfologia alterada. Entre elas estão a orquite, varicocele, síndrome de Klinefelter e exposição à radiação. Nesses casos, mais testes devem ser feitos para a confirmação, como a dosagem de hormônios ou biópsia dos testículos.


Leia o manual completo de análise e processamento de sêmen, fornecido pela Organização Mundial de Saúde.

COMPARTILHE

Autor(a):

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.

0 comentários: