Pular para o conteúdo principal

XIII Curso de Inverno de Farmacologia

A décima terceira edição do Curso de Inverno de Farmacologia, organizada pelos alunos do Programa de Pós-graduação em Farmacologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), será realizada de 24 a 30 de julho de 2016, em Florianópolis.


Visando a formação e capacitação de alunos que tenham interesse no desenvolvimento da pesquisa científica, o curso tem como objetivo instigar alunos para a iniciação à ciência, estimulá-los a ingressar em cursos de pós-graduação, proporcionar a oportunidade para alunos da graduação de conhecer os laboratórios de pesquisa do departamento e incentivar os alunos do curso de inverno a integrar o quadro de pós-graduandos.

Poderão participar da seleção alunos de graduação (que já tenham cursado a disciplina de fisiologia humana) e todos os formados em áreas de Ciências Farmacêuticas, Ciências Biológicas e afins (com até três anos de formado, tendo como referência o último dia de inscrição).

As inscrições irão até o dia 18 de maio de 2016 e os requisitos necessários podem ser visualizados no edital do curso (clique aqui para ler). Todos os documentos e informações devem ser enviados para o e-mail da comissão organizadora: cursodeinvernoufsc@gmail.com. O resultado final da seleção será publicado no dia 30 de maio de 2016 na página do curso:


O evento é oferecido para um máximo de 30 alunos e terá seu conteúdo em forma de aulas teóricas, práticas, discussões de problemas e atividades em grupo. Para os alunos selecionados, será cobrado uma taxa de inscrição de R$ 95,00 referente ao custo com o material.

Comentários

Artigos populares

Tubos para coleta de sangue

Os tubos de coleta de sangue são estéreis, feitos de vidro ou plástico e alguns possuem vácuo. Comumente utilizados em punções venosas, eles são projetados para a coleta, transporte e processamento das amostras.

O interior destes tubos pode ser revestido com anticoagulantes e as vedações preservam a integridade da amostra até a chegada ao laboratório. Embora não seja necessário ao coletor conhecer todos os detalhes sobre os procedimentos analíticos dos testes hematológicos, é essencial conhecer o tipo de amostra necessária para cada análise.


Tipo de Análise - Tipo de Amostra Bioquímica e Sorologia - Soro ou plasma Hematologia - Sangue total com EDTA Glicemia - Plasma com fluoreto de sódio Coagulação - Plasma com citrato de sódio
Tubos para coleta
A amostra deve ser coletada em tubos específicos para cada tipo de análise, sendo de extrema importância conhecê-los para a realização correta do exame. O material colhido em recipiente inadequado será rejeitado e descartado pelo laboratório p…

Conheça os principais meios de cultura

O crescimento dos microrganismos nos diferentes meios de cultura utilizados fornece as primeiras informações para a sua identificação. É importante conhecer o potencial de crescimento de cada meio de cultura e adequar ao perfil bacteriano esperado para cada material.


Alguns procedimentos são essenciais na hora da preparação de cada meio de cultura para a obtenção de melhores resultados e evitar contaminações, como nos diferentes casos: quando distribuir o meio antes de autoclavar, os tubos não precisam estar esterilizados; quando distribuir o meio após a autoclavação, os tubos, frascos, placas, pipetas e vidrarias ou materiais auxiliares obrigatoriamente devem ser estéreis e os meios devem ser autoclavados com as tampas semi-abertas, para que a esterilização seja por igual em todo o conteúdo dos tubos - tampas fechadas não permitem a entrada do vapor.

Ágar nutriente (AN)

Meio relativamente simples, de fácil preparo e barato, muito usado nos procedimentos do laboratório de microbiologi…

Vírus Epstein-Barr

O vírus Epstein-Barr, frequentemente referido como EBV, é um membro da família dos herpesvírus e um dos mais comuns nos humanos. O vírus ocorre em todo o mundo, e a maioria das pessoas é infectada com EBV em algum momento durante suas vidas.


Crianças tornam-se suscetíveis ao EBV tão logo a proteção de anticorpos maternos (presente no nascimento) desaparece. Muitas crianças são infectadas com EBV, e essas infecções geralmente não causam sintomas ou são indistinguíveis. Nos países desenvolvidos, muitas pessoas não estão infectadas com EBV na infância. Quando a infecção com EBV ocorre durante a adolescência ou na idade adulta jovem, provoca a mononucleose infecciosa em 35% a 50% dos casos.

Os sintomas da mononucleose infecciosa são febre, dor de garganta e aumento dos gânglios linfáticos. Às vezes, há o envolvimento do fígado e do baço. Problemas cardíacos ou envolvimento do sistema nervoso central ocorrem raramente, e a mononucleose infecciosa quase nunca é fatal. Não há associações co…