Mercado de trabalho

Desvendando a Biomedicina

Hoje em dia todos já sabemos o que um biomédico faz, não é mesmo?! Mas como desenvolvemos nossas habilidades em um mercado de trabalho tão exigente?

Com vagas em universidades públicas e particulares, o curso de Biomedicina forma todos os anos um grande número de profissionais e tem feito a concorrência por empregos aumentar muito.

Para esclarecer algumas dúvidas sobre o curso, apresento-lhes um panorama sobre a carreira de Biomedicina. Abordarei temas como oportunidades, desafios e principais características necessárias ao biomédico para enfrentar o mercado de trabalho.



Por que Biomedicina?

São vários os casos de alunos que, ao sair do ensino médio, ficam em dúvida quando o assunto é escolher o curso de graduação. O principal dilema sempre envolve Biologia, Medicina e Biomedicina. Antes de mais nada, você deve saber diferenciar os cursos e conhecer as principais atividades de cada carreira.

Se você já pensou em cursar Biologia, saiba que pode atuar na parte clínica ou laboratorial. Não há nada que impeça o biólogo de atuar nas análises clínicas, mas a maioria das instituições de ensino que oferecem o curso dão ênfase principalmente no estudo dos seres vivos. Assim, os recém-formados geralmente precisam realizar uma pós-graduação em análises clínicas para atuarem e melhorarem o seu conhecimento.

O curso de Medicina é, sem dúvidas, o que oferece melhor remuneração, mas também possui a maior concorrência e a mensalidade mais cara em instituições particulares. Os médicos examinam, diagnosticam e tratam pacientes em hospitais, clínicas e centros de saúde. Estão em contato direto com os pacientes por quase todo o tempo de trabalho. Muitas vezes trabalham por longas horas, incluindo finais de semana e noites, embora as horas de trabalho variem de acordo com a especialidade.

Em contrapartida, a graduação em Biomedicina já oferecerá toda a bagagem que você precisa para atuar na área de diagnóstico e/ou pesquisa. O curso tem um grande leque de habilitações, todas regularizadas pelo Conselho Federal de Biomedicina. Apesar de relativamente novo, o aumento do número de instituições que oferecem o curso fez com que a Biomedicina seja mais bem reconhecida no país, e esse fato é um ponto favorável na valorização do profissional biomédico. Como todos dizem, é a profissão que trabalha nos bastidores, mas nem por isso é menos importante do que qualquer outra. Aliás, é uma atividade fundamental, pois o biomédico clínico norteará o médico, fornecendo parâmetros e dados de cada paciente.

Quanto ganha um biomédico?

É bem verdade que muitos hospitais, empresas e órgãos públicos oferecem salários extremamente baixos para os biomédicos, mas isso não é uma exclusividade nossa. Em geral, os profissionais da área da saúde não são valorizados como deveriam e, por falta de opção, aceitam trabalhar por salários muito mais baixos do que lhes seria adequado, considerando o investimento em suas formações.

O segredo para o sucesso é não manter a carreira estagnada. Se você percebe que a área em que atua está muito saturada e sem grandes perspectivas de uma boa remuneração, mude. Faça outro curso de pós-graduação, reinvente sua carreira, procure parceiros e busque alternativas para compensar a falta de oportunidades. Valorize-se e você poderá exigir condições melhores na sua próxima entrevista de emprego.

Sendo assim, posso responder essa questão com uma outra pergunta: o que você fez para melhorar o seu conhecimento e capacitação profissional e almejar salários maiores? Lembre-se de que sempre existirão bons e maus profissionais em qualquer carreira. O que diferenciará você das outras pessoas é a dedicação, habilidade e conhecimento.

Como escolher a habilitação biomédica certa para mim?

Devido às diversas opções, escolher a especialização profissional é uma das fases mais complicadas do curso de Biomedicina. Entre as mais de 30 disponíveis, há atuações bem distintas e, na maioria das vezes, o estudante ainda não teve contato com todas as diferentes áreas para saber o que quer.


Uma dica muito importante é fazer o maior número possível de estágios desde o primeiro ano do curso. As aulas teóricas da graduação são fundamentais, mas somente a experiência do dia-a-dia de um laboratório ou qualquer outro tipo de trabalho irá fornecer ao futuro biomédico uma visão de como será a sua vida profissional.

É claro que devemos considerar que pode não ser tão fácil conseguir estágios. Algumas empresas não possuem programas de estágio e talvez seja necessário que o estudante persista na busca. Outro ponto a ser considerado é a oferta de bolsas. Dificilmente você encontrará estágios remunerados para a área da saúde, a menos que o programa seja vinculado à uma instituição maior, que disponibilize bolsas.

E você pode estar se perguntando: como vou saber qual a área que eu vou gostar? Bem, não há uma resposta padrão para essa questão. Sem dúvidas, quanto maior o número de áreas em que você passar, maior será a chance de se identificar com alguma e decidir em qual especialidade atuar.

Por serem muito distintas, as habilitações biomédicas possuem oportunidades de salários bem variáveis. Áreas como as análises clínicas, que são as mais procuradas pelos recém-formados, apresentam menor remuneração em quase todo o país, quando comparadas às demais. Outras especialidades, como circulação extracorpórea, reprodução humana e imagenologia, têm os salários iniciais mais elevados, porém necessitam de um investimento inicial maior na carreira.

Me formei. Hora de procurar emprego?

Depois de formados, os biomédicos saem em busca da tão esperada vaga no mercado de trabalho. Porém essa ciência não é exata e nem tão simples como parece. A recorrente reclamação é a de que as empresas não oferecem oportunidades para profissionais sem experiência. Mas como conseguir experiência sem trabalho ou conseguir trabalho sem experiência?

Com o crescimento do número de profissionais, a disputa por um emprego também aumenta. E o que vai tornar você melhor do que o seu concorrente é a sua capacitação profissional. Por isso os estágios durante a graduação são tão importantes.

Mas isso não é tudo. Apesar de exaustivos anos na universidade, muitas empresas lhe dirão que você não tem experiência suficiente na área. Fazer um curso de pós-graduação é crucial para melhorar o seu currículo. A graduação lhe apresenta todas as matérias que a Biomedicina possui, mas de maneira muito superficial. A pós-graduação irá se aprofundar nos temas de sua escolha e aumentar ainda mais o seu conhecimento específico.

"O pessimista reclama do vento, o otimista espera que ele mude e o sábio ajusta as velas".

Há algumas dicas que podem ajudar os candidatos na hora de procurar um emprego. A primeira e mais importante é a de manter o currículo atualizado, de preferência que seja interessante aos olhos do recrutador. Faça cursos e aprimoramentos na sua área, mantenha-se bem informado e apto a realizar qualquer tipo de tarefa que sua formação necessite.

Procure conhecer o perfil da vaga a que você está se candidatando, e ter pelo menos uma breve noção das características e atividades da empresa. Manter o foco nas oportunidades que se adequam ao seu perfil pode aumentar as chances de contato das empresas. Não saia enviando currículos para qualquer oportunidade de emprego, pois como você, existem muitas outras pessoas na mesma situação e, talvez, que tenham capacitação mais apropriada para determinada vaga.

Tente também participar do maior número de eventos da área. Congressos, encontros e workshops permitem que você conheça profissionais que, mais tarde, podem oferecer parcerias e oportunidades de trabalho. Mantenha o seu networking ativo, priorizando a qualidade e o bom relacionamento com seus contatos.

Por fim, se a empresa lhe convocar para a entrevista de emprego, seja você mesmo. Não tente inventar ou se fazer passar por um profissional que você não é. Seja sincero, mostre o seu conhecimento e suas qualidades. Nessa etapa, dizer a verdade é extremamente importante, porque mesmo que você seja contratado,talvez não permaneça no cargo pela incapacidade futura de cumprir as suas funções.


Agora dê a sua opinião: quais são as principais dificuldades encontradas por você para estabelecer uma carreira sólida e bem-sucedida na Biomedicina?



Artigo por: Raphael Gonçalves Nicésio

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.

Licença Creative Commons
Esta publicação está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. Não é permitido duplicar, copiar ou reproduzir qualquer parte sem autorização prévia.

0 comentários:

Postar um comentário

2007-2016. Biomedicina Brasil. Tecnologia do Blogger.