Metodologia

Como utilizar uma micropipeta corretamente

As micropipetas são usadas para transferir pequenas quantidades (inferiores a 5mL) de líquidos. Suas escalas são exibidas em microlitros (1000μL = 1mL) e possuem capacidades de volumes diferentes (P10, P20, P100, P200, P1000, P5000) para cada aplicação. Os dois tipos principais de micropipetas, são a monocanal (pipetagem única) e a multicanal (pipetagem múltipla). Dependendo do volume desejado, as ponteiras descartáveis também podem variar. Veja abaixo como utilizar corretamente a micropipeta para garantir a precisão do volume e não comprometer o resultado do seu experimento.


Nunca exceda a capacidade (superior ou inferior) das micropipetas, pois são instrumentos muito caros e delicados que podem ser facilmente danificados. A divisão de capacidade e os limites de cada pipeta são, em geral:

P10: 0,5 a 10μL
P20: 2 a 20,0μL
P100: 10 a 100μL
P200: 20 a 200μL
P1000: 200 a 1000μL
P5000: 1000 a 5000μL
(a capacidade e os limites podem variar de acordo com o fabricante)

Ajuste o volume desejado, girando o anel localizado na parte superior central da micropipeta em sentido horário para aumentar o volume, ou anti-horário para diminuir o volume. Encaixe uma ponteira na extremidade inferior da micropipeta com movimento de rotação. Se forem necessárias condições estéreis, evite que a ponteira toque em qualquer objeto ou em suas luvas.

A - Regulagem de volume; B - Encaixe da ponteira.

O botão da micropipeta tem duas fases diferentes quando é pressionado. A primeira fase (ponto de resistência inicial) é o nível de depressão que vai resultar no volume desejado de solução a ser transferida. Logo, a profundidade pressionada do botão para atingir o ponto de resistência inicial irá variar em função do volume a ser pipetado.

Partes da micropipeta.

O segundo ponto de parada é atingido quando o botão é pressionado além da resistência inicial, até que entre em contato com o corpo da micropipeta. Este segundo ponto é utilizado para o descarte completo de soluções da ponteira. Você não deve chegar a esta segunda parada ao aspirar o líquido para dentro da ponteira, somente quando for dispensar. Se estiver usando a micropipeta pela primeira vez, pratique pressionando o botão para cada um desses pontos de parada até que você possa distingui-los facilmente.

Para começar a pipetagem, pressione o botão de forma lenta e constante, até sentir a resistência inicial. Lembre-se de inserir a ponteira na solução apenas um pouco abaixo da superfície do líquido, e não na parte mais profunda.

Exemplo de pipetagem correta e incorreta.

Solte o botão cuidadosamente até o ponto inicial. Se a solução que você está pipetando é viscosa, aguarde até que a ponteira se preencha com o volume final antes de removê-la da solução, para evitar a presença de bolhas e um volume impreciso.

Deposite a solução no recipiente apropriado, pressionando o botão novamente. Desta vez, pressione-o até o segundo ponto de parada para dispensar totalmente o volume de solução.

Retire a ponteira pressionando o botão ejetor, localizado na parte de trás da maioria das micropipetas. Lembre-se de mudar a ponteira entre cada pipetagem para evitar misturar ou contaminar as soluções.

Artigo por: Raphael Gonçalves Nicésio

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.

Licença Creative Commons
Esta publicação está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. Não é permitido duplicar, copiar ou reproduzir qualquer parte sem autorização prévia.

0 comentários:

Postar um comentário

2007-2016. Biomedicina Brasil. Tecnologia do Blogger.