Embriologia

Biomedicina, Embriologia e Reprodução Humana

A Embriologia e a Reprodução Humana são campos em constante desenvolvimento que tiveram um enorme crescimento nos últimos 20 anos. Essas duas áreas compreendem todos os processos de crescimento e diferenciação celular, além da avaliação e utilização de diferentes técnicas médicas em tratamentos de fertilidade.

O primeiro caso de sucesso de Reprodução Assistida (RA) ocorreu em 1978, quando o cientista britânico Robert Edwards, com a ajuda do ginecologista Patrick Steptoe, mudaram o futuro de casais considerados inférteis em todo o mundo. Na época, o nascimento do primeiro bebê de proveta, Louise Brown, foi um avanço científico revolucionário e a partir desse momento encaminhou-se para um tratamento médico de rotina. Desde então, mais de cinco milhões de bebês nasceram provenientes de técnicas de fertilização in vitro (FIV).

Imagem: Mucize’nin Doğumu.

Hoje em dia, a FIV é um processo muito mais simplificado. Embora as questões morais e éticas ainda sejam temas de discussão a respeito dos novos avanços, em sua maior parte, tornou-se um tratamento comum. Os óvulos, sêmen e embriões doados podem ser usados para ajudar casais com problemas de fertilidade mais complexos, já que a tecnologia de doação e criopreservação de material biológico já está bem desenvolvida.

O surgimento da injeção intra-citoplásmica de esperma (ICSI), na qual o esperma é injetado diretamente para dentro do óvulo, demonstraram que os problemas de fertilidade masculina também podem ser tratados. Outra informação importante é que a taxa de nascimentos múltiplos, uma característica comum evidenciada após tratamentos de FIV, está diminuindo cada vez mais.

A habilitação de Embriologia inclui a avaliação e aplicação de todos os procedimentos e tratamentos envolvidos no desenvolvimento e processo de fertilização. Entre as principais técnicas, estão a inseminação artificial (IA), quando a fecundação ocorre no próprio corpo da paciente, e a fertilização in vitro (FIV), quando a fertilização ocorre em ambiente laboratorial.

Teoria

O curso de Embriologia deve compreender matérias básicas e essenciais para a atuação do profissional, como biologia celular, embriologia clínica, ética, genética, criopreservação e tecnologia de laboratório.

Os embriologistas clínicos precisam de uma boa base teórica e prática da biologia reprodutiva, embriologia, infertilidade e tecnologias de reprodução assistida (TRA). Também precisam manter as informações atualizadas sobre os regulamentos e a legislação vigente referente aos temas.

Resoluções

Para habilitação em Embriologia e Reprodução Humana, os biomédicos devem realizar cursos de pós-graduação lato sensu ou strictu sensu, reconhecidos pelo MEC.

Assim, para inclusão da habilitação conforme o Conselho Regional de Biomedicina, o profissional biomédico deverá obter sua experiência comprovada das seguintes maneiras: pelos cursos de pós-graduação, na conclusão da graduação (via estágio supervisionado de 500 horas) e nas residências multi-profissionais ou biomédicas, mediante comprovação de tempo de atuação ou residência.


Prática

Os embriologistas clínicos trabalham no tratamento de fertilidade e na pesquisa reprodutiva. Eles auxiliam serviços de diagnóstico de rotina e procedimentos terapêuticos, como a FIV, em hospitais e clínicas. As tarefas dos profissionais variam muito dependendo da sua atuação. No entanto, existem habilidades que são comuns a todos.

Injeção intra-citoplasmática de esperma - ICSI (Foto: ACE).

A realização de pesquisas sobre a função e composição genética de embriões é um trabalho muito importante nesta carreira, e os estudos são realizados a fim de classificar, identificar e corrigir o desenvolvimento de embriões, esclarecendo os problemas associados à gravidez e ao nascimento.

Sendo assim, o trabalho de um embriologista clínico envolve:

→ determinar o nível de fecundidade dos indivíduos;
→ coleta e manutenção de óvulos e espermatozóides (gametas) de pacientes;
→ micromanipulação e teste de adequação de cada gameta;
→ preparação de gametas e do ambiente para a FIV;
→ usar TRA para ajudar pacientes com infertilidade;
→ preservação de gametas e embriões para uso futuro;
→ cultura, seleção de embriões e criopreservação;
→ monitoramento do desenvolvimento embrionário;
→ acompanhamento e manutenção dos criobancos;
aplicação de conhecimentos éticos e cumprimento do controle de qualidade.

$ Salário $

O campo de atuação inclui clínicas de fertilidade, universidades, hospitais, laboratórios de embriologia, empresas de biotecnologia, organizações governamentais e indústrias comerciais. Por ser um procedimento relativamente caro, a remuneração é boa na maioria dos casos.

O salário varia de acordo com o cargo e a função do biomédico embriologista dentro da empresa, pois as tarefas realizadas podem ser bem diferentes.

Opinião profissional

Nesta seção, entrevistamos uma biomédica especializada em Reprodução Humana para que você possa conhecer um pouco mais sobre a habilitação.

Marcia Riboldi - biomédica especializada em reprodução humana na Fertilitat Centro de Reprodução Assistida, Huntington Medicina Reprodutiva (Brasil) e no Instituto Valenciano de Infertilidade – IVI (Espanha). Possui experiência na área de Células-Tronco Embrionárias e Adultas e também com pesquisas relacionadas à preservação da Fertilidade Humana e Diferenciação a Gametas, realizados no Banco de Líneas Celulares – Nodo Valenciano – Centro de Investigación Príncipe Felipe (Espanha). Doutora em Ginecologia e Obstetrícia, dirige a Igenomix no Brasil, que realiza serviços de genética reprodutiva avançada. Suas linhas de pesquisa atuais são a receptividade endometrial e a implantação embrionária.
Contato → Igenomix

Entrevista

1 - Por que escolheu a Embriologia?
Marcia Riboldi - Saber que é possível ajudar os casais que possuem alguma dificuldade reprodutiva em poder realizar seus sonhos ou ainda prevenir alguma doença hereditária em algumas famílias são coisas fascinantes. Hoje, a Reprodução Humana está trazendo novas possibilidades a casais que há tempos atrás nem sequer poderiam pensar em ter filhos. Ou ainda está evitando que novas gerações sofram de doenças graves e raras por, no passado, não terem conhecimento ou outra alternativa.

2 - Qual é a sua avaliação para o mercado de trabalho nessa área?
Marcia Riboldi - Muito promissora. Cada ano que passa, as mulheres estão mais ativas no mercado de trabalho e hoje o objeto de muitas é ter uma carreira profissional e não mais serem apenas mães. As duas opções são possíveis, porém é necessário saber que todas nós, mulheres, temos um relógio biológico. Nascemos com os nossos óvulos que vão envelhecendo com os anos. Hoje, com os avanços das técnicas de Reprodução, somos capazes de congelar os óvulos e mantê-los por anos em “stand by” para que os mesmos não envelheçam e possam ser utilizados posteriormente com o auxílio de outras técnicas, como a Fertilização in vitro. Isso expande ainda mais as diferentes linhas em que a Reprodução Humana pode atuar, desde uma simples Fertilização in vitro até uma seleção genética embrionária.

3 - Na sua opinião, quais as vantagens e desvantagens da Embriologia?
Marcia Riboldi - Para mim, as vantagens são os inúmeros benefícios que a utilização das técnicas de reprodução podem alcançar, tais como:
- Possibilitar que pacientes com ligação de trompas possam ficar grávidas;
- Preservar a fertilidade em pacientes com câncer;
- Selecionar embriões saudáveis através de diferentes técnicas;
- Diminuir os riscos de falhas de implantação e abortos;
- Prevenir o nascimento de um bebê com Síndrome de Down, Edwards e Patau;
- Minimizar o risco de gestações múltiplas;
- Facilitar a fertilização em pacientes que possuem alguma dificuldade.

Enfim, inúmeras opções que dependem de cada histórico para serem utilizadas em benefício do casal. Porém, se todas essas técnicas não forem utilizadas dentro da ética, o uso delas pode acarretar uma série de complicações. Além disso, não ter controle no número de embriões transferidos durante muito tempo acabou gerando uma série de gestações múltiplas que põem em risco a saúde materna. Outro ponto importante é ter claro que nenhum tratamento tem 100% de eficiência e que muitas vezes, mesmo utilizando as técnicas mais avançadas, o sucesso não está garantido.

4 - Considerações finais.
Marcia Riboldi - Um ponto importante, independente da área que o biomédico for seguir na sua carreira, é estar sempre em uma linha. O fato de ter um objetivo em uma determinada área facilita a entrada no mercado. Não ficar pulando de galho em galho e mudando de área após a finalização do curso é importante e beneficia, para quem sabe no futuro, ser especialista em uma determinada linha de diagnóstico.

Planejar o futuro após a formação é fundamental, traçar as metas e determinar os tempos para alcançar esses objetivos também. Pois, dessa forma sabemos como as coisas estão caminhando e se estamos tendo respostas adequadas e que coincidem com nossas decisões.

Hoje a Reprodução Humana é um mercado promissor como muitos outros em diferentes áreas. O importante é gostar do que faz, porque se você tem dedicação e é apaixonado(a) pelo que faz as coisas acontecem e o resultado final sempre aparece.

Artigo por: Raphael Gonçalves Nicésio

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.

Licença Creative Commons
Esta publicação está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. Não é permitido duplicar, copiar ou reproduzir qualquer parte sem autorização prévia.

31 comentários:

  1. Preciso muito de um estágio nessa área, mas é tão difícil aqui no RJ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei quanto à oferta de vagas para estágio Aline, mas você já tentou no Huntington ou nos hospitais universitários da UFF e UERJ? Todos eles possuem o serviço de medicina reprodutiva.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Camila, em São Paulo você pode procurar no Instituto Sapientiae ou no Hospital Pérola Byington. Se não tiverem vagas para estágio, certamente saberão indicar outros locais.

      Excluir
    2. Biomedicina Brasil, não abriram processo seletivo no Pérola Byington, segundo informações que obtive. Vou verificar no Instituto Sapientiae. Obrigada pela dica.

      Excluir
  3. Ola td bem?!
    Este ano vou prestar vestibular para biomédicina, queria saber a opinião de vcs profissionais sobre o curso, salario, melhores áreas de atuação e melhores escolas, aguardo o retorno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eliel,

      Recomendo que leia o artigo "Desvendando a Biomedicina".
      Link: http://goo.gl/6S2lw9

      Excluir
  4. muito bom, gostei do teu blog, estou me formando ainda, e tenho muitas expectativas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Emerson, espero poder ajudá-lo com os artigos do blog.

      Excluir
  5. Olá, estou fazendo meu Tcc sobre reprodução assistida, mais estou com dificuldade de achar um "problema" pra desenvolver. Conhece algum artigo ou algo que possa servir como inspiração?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mia, recomendo que leia artigos da área em sites como SciELO, PubMed, BVS, entre outros. Alguns temas podem servir de inspiração para o seu TCC.

      Excluir
  6. Olá, estou cursando meu primeiro ano de biomedicina e tenho um grande fascínio pela área de reprodução humana. Gostaria de saber como tirar a habilitação.. É necessário uma pós graduação ou só com o estagio currícular eu posso já atuar nessa área?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Erika, com o estágio curricular você já terá habilitação para atuar na área de Reprodução Humana, mas recomendo cursar uma pós-graduação para que o seu conhecimento teórico e prático seja mais completo.

      Excluir
  7. Olá, me chamo Luanna,
    estou terminando o curso de biomedicina e gostaria de trabalhar com reprodução assistida, porém todos me dizem que nessa área tem muitos médicos e que como biomédica é difícil arrumar emprego. Sou de Recife.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luanna, existem atividades dentro da Embriologia e Reprodução Humana que só os médicos estão autorizados a realizar. Porém o campo de atuação é amplo e há muitas oportunidades para os biomédicos, principalmente na parte laboratorial com a manipulação de gametas e técnicas de fertilização.

      Excluir
    2. Eu me encanto por exatamente esta parte de manipulação de gametas e de tecnicas de fertilização. Eu estive pesquisando especilizações em embriologia humana e fertilização e eu só achei em São Paulo e em Florianópolis, visto que eu sou de Pernambuco você sabe de outros locais mais perto? e após a conclusão da minha especialização eu já estou hapta para trabalhar em uma clínica? desde já grata!

      Excluir
    3. Sim, após concluir a sua especialização, você poderá atuar como embriologista em laboratórios e centros de reprodução. Quanto aos cursos, encontrei especializações em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Goiás. Certamente deve haver alguma no nordeste também.

      Excluir
  8. Gostaria muito de fazer Reprodução Humana mas aqui no RS é muito difícil achar um lugar que tenha essa área.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruna, essa área ainda tem oportunidades limitadas em alguns estados. Procure hospitais e clínicas que ofereçam o serviço de Reprodução Humana e converse sobre a possibilidade de estágios e aprimoramentos.

      Excluir
  9. Olá, curso o segundo ano em Biomedicina, e pretendo uma pós graduação na área de reprodução humana. Poderia me indicar quais são institutos referência para nós biomédicos, independente de sua localização.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como mencionado em outro comentário, procure o Instituto Sapientiae ou o Hospital Pérola Byington, ambos em São Paulo.

      Excluir
  10. Olá, eu gostaria de saber a respeito da biomedicina na supervisão de atletas (suplementação, dietas, treinos). Onde devo procurar um estagio do tipo? Fico em qual profissional devo buscar um estágio. E o que o biomédico pode e não pode fazer nesta área?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Matheus, essa área corresponde à habilitação em Fisiologia. Existe um programa de pós-graduação em Fisiologia do Exercício na UNIFESP, em São Paulo.

      Excluir
  11. Olá,gostaria de saber qual a media salarial do biomedico especialista em reprodução humana?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Françoir, como diz o artigo, o salário dependerá da função do biomédico na empresa.

      Excluir
  12. Olá! Um técnico em biotecnologia pode atuar na área de reprodução humana? Curso biomedicina, mas gostaria de obter esta informação.
    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Franciellen, consulte a Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA) para obter esta informação.

      Excluir
  13. Onde eu consigo achar uma pós em reprodução humana entre Rio e São Paulo? O único que vi até agr foi no Sapientiae em SP. Quero conhecer mais opções para fazer a especialização e estágios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felipe, neste link você pode encontrar uma relação de clínicas e instituições que podem oferecer cursos e estágios: http://sbra.com.br/index.php?option=com_mapa

      Excluir
  14. OLÁ MORO EM FORTALEZA -CE, FAÇO BIOMEDCINA NA UNICHRISTUS E TENHO MUIIITO INTERESSE NESSA ÁREA, PORÉM NAO CONHEÇO NADA E NEM PERTO DA MINHA CIDADE ,ESTOU NO SEGUNDO SEMESTRE MAS QUERIA MUITO UM RUMO PARA QUE EU JA POSSA FAZER PARA ADIANTAR MEU PROCESSO RPOFISSIONAL.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Larissa, inscreva-se em cursos e eventos relacionados à Embriologia e Reprodução Humana. Neles, você conhecerá profissionais que podem dar dicas sobre a habilitação e atuação na área.

      Excluir

2007-2016. Biomedicina Brasil. Tecnologia do Blogger.