Microbiologia

Interpretação do crescimento bacteriano

O crescimento de grande parte dos micro-organismos nos meios de cultura só é possível quando o mínimo de nutrientes é fornecido para o seu desenvolvimento. Devido à grande variabilidade de meios e bactérias existentes, são observados diferentes aspectos de colônias, cores e formas. Essas características são chamadas de morfologia e são usadas para uma identificação prévia do micro-organismo.

Imagem: Pixabay
Conforme as bactérias consomem os nutrientes do meio de cultura, elas crescem e se multiplicam. Depois de algum tempo, suas células começam a se acumular, ficando visíveis a olho nu. Os conjuntos dessas células são chamados de colônias bacterianas. Apesar de muitas características a serem observadas, a morfologia possui elementos básicos que podem diferenciar as bactérias em grupos menores.

Morfologia da colônia bacteriana

Cada espécie de bactéria produz uma colônia diferente das colônias produzidas por outras espécies. A morfologia das colônias é um dos primeiros passos na caracterização e identificação de uma cultura bacteriana.

Hemólise - A colônia produz algum tipo de hemólise?
Pigmentação - A colônia possui cor?
Tamanho - Qual é o tamanho da colônia?
Forma - Qual é a forma básica da colônia?
Elevação - Qual é a altura e forma do ápice da colônia?
Margem - Qual é a forma da borda da colônia?
Densidade - A colônia é transparente, opaca, translúcida?
Consistência - Qual é o aspecto da colônia?
Superfície - Como é a superfície da colônia?
Odor - A colônia possui algum odor característico?

Hemólise
Algumas bactérias produzem enzimas que lisam as hemácias presentes no meio de cultura Ágar Sangue, formando três tipos de hemólise. A beta-hemólise ocorre quando há lise completa das hemácias, apresentando uma zona clara em torno do crescimento bacteriano. A alfa-hemólise ocorre quando há lise parcial das hemácias, deixando uma cor esverdeada próxima às colônias. A cor esverdeada é causada pela presença de biliverdina, que é um sub-produto da degradação da hemoglobina. E finalmente, a gama-hemólise ocorre quando o organismo não produz hemólise.

Foto: Wikimedia.
Pigmentação
Algumas bactérias possuem pigmentos quando crescem nos meios de cultura. Este pode ser observado ao tocar uma colônia com a ponta de um swab, adquirindo  a cor do pigmento bacteriano. Os exemplos mais comuns são Staphylococcus aureus (cor amarela) e Serratia spp. (cor vermelha).

Foto: Wikimedia
Tamanho
O tamanho de uma colônia bacteriana pode variar muito, mas geralmente se considera grande uma colônia maior que 1mm de diâmetro. Colônias de 1mm são consideradas de tamanho médio e as menores que 1mm são consideradas pequenas.

Forma, Elevação e Margem
Essas três características têm importância fundamental na interpretação do crescimento bacteriano. A colônia das bactérias pode apresentar-se com aspecto circular, irregular, puntiforme, ondulado, achatado, umbilicado, convexo, elevado, em domo, com centro elevado, entre outros.

Imagem adaptada: Wikimedia.

Densidade
Há três tipos possíveis de densidade da colônia bacteriana: transparente (pode-se ver através da colônia), opaca (não é possível ver através da colônia) e translúcida (pode-se ver através da colônia apenas com o auxílio de luz).

Consistência
A consistência bacteriana pode ser observada ao tocarmos uma colônia com uma alça bacteriológica. Dentre os tipos mais comuns, estão as amanteigadas, pegajosas, secas, mucoides e quebradiças.

Superfície
A superfície da colônia de uma espécie bacteriana pode ser muito diferente de outras, apresentando aspecto rugoso, granular, embaçado, cremoso ou brilhante.

Foto adaptada: Wikimedia.
Odor
O odor característico de algumas espécies bacterianas pode auxiliar da interpretação de um crescimento, apesar de ser uma análise muito subjetiva. Aliás, não recomenda-se cheirar diretamente a placa. Deve-se sentir o odor emanado a uma distância segura, de mais ou menos um braço estendido. Dentre os odores bacterianos mais conhecidos, estão o de queijo (Staphylococcus aureus), fermento de pão (Klebsiella pneumoniae), fétido (Proteus spp.) e uva (Pseudomonas aeruginosa).

Referência: Procedimentos Básicos em Microbiologia Clínica.

Artigo por: Raphael Gonçalves Nicésio

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.

Licença Creative Commons
Esta publicação está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. Não é permitido duplicar, copiar ou reproduzir qualquer parte sem autorização prévia.

1 comentários:

  1. Apresento a rede social TSU que concorre com Facebook e paga aos utilizadores!
    O Tsu é uma rede social criada em outubro de 2014 à qual acede quem for convidado por um membro. Ela recompensa os utilizadores pela sua atividade no site.
    Mais aqui:
    www.tsu.co/samgom

    ResponderExcluir

2007-2016. Biomedicina Brasil. Tecnologia do Blogger.