Microbiologia

Doença de Lyme: carrapatos transmitem infecções que causam sérios danos à saúde

A Doença de Lyme é uma infecção contraída pela picada do carrapato e pode causar desde febre até problemas articulares e neurológicos quando não tratada precocemente.
Não são apenas os animais que são vítimas de doenças transmitidas por carrapatos. A bactéria Borrelia burgdorferi, que infecta carrapatos, é responsável pela transmissão da enfermidade conhecida como doença de Lyme, que afeta os humanos. A dificuldade em realizar um diagnóstico precoce é um dos grandes problemas apresentados e que pode causar graves danos à saúde do indivíduo. Os sinais mais comuns da doença de Lyme são febre, cansaço e dores articulares, sendo assim, muitas vezes confundida com reumatismo.
Transmissão
Pessoas contraem a doença de Lyme através da picada do carrapato contaminado pela bactéria Borrelia burgdorferi. Para ocorrer essa transmissão, o carrapato precisa ficar grudado na pele do indivíduo por um período que pode ser variável, porém em geral superior a 24 horas. Os carrapatos têm preferência por partes do corpo como axila, virilha e couro cabeludo. Em geral, os seres humanos são picados por filhotes de carrapatos, que são muito pequenos e difícil de serem notados, assim tendo tempo hábil para ficarem grudados na pele e transmitir a doença antes de serem descobertos. Por meio da picada as bactérias entram na corrente sanguínea, assim facilmente espalhando-se por todo o corpo. A prevalência da doença de Lyme no Brasil é baixa, porém seu conhecimento é extremamente importante, necessitando uma maior atenção para os casos em que houver suspeita clínica.
Já foram detectados casos em São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Rio Grande do Norte.
Sintomas
Pessoas que foram picadas por carrapatos e que desenvolveram a doença de Lyme, apresentam na grande maioria das vezes uma mancha vermelha ao redor da região de contato. Outros sintomas como febre, dor de cabeça, dores musculares e articulares, cansaço, fadiga e em algumas situações erupções cutâneas, podem aparecer no intervalo de dias a meses após a picada do carrapato. Os sintomas mais graves estão ligados ao diagnóstico tardio, em que manifestações clinicas decorrentes da inflamação do cérebro e da medula espinhal podem levar a danos mais graves à saúde do paciente. Caso tenha sido picado por um carrapato ou estado em alguma região com infestação de carrapatos, e ao apresentar sinais e sintomas da doença, procure um médico o mais breve possível.
Diagnóstico (anamnese + exames laboratoriais)
Caso desenvolva erupção cutânea ou febre semanas após a picada de carrapato, em consulta médica relate o acontecido e o local onde provavelmente ocorreu. É importante detalhar toda a história, para evitar erros no diagnóstico, solicitação de exames e administração de antibióticos sem necessidade.
Exames laboratoriais geralmente são solicitados para a detecção de anticorpos específicos IgG e IgM pelo método de ELISA. O exame confirmatório é realizado pela metodologia conhecida como Western blot, frente a um resultado positivo por ELISA.
Tratamento
Como a doença de Lyme é causada por uma bactéria, o tratamento é realizado através do uso de antibióticos que, quando administrados na fase inicial da doença, permitem uma recuperação rápida e sem grandes complicações. Sem um diagnóstico precoce, o tratamento pode levar um período mais longo e com a presença de sintomas em um período superior a 6 meses.
Carrapatos transmitem infecções que causam sérios danos à saúde (Foto: Divulgação)
Prevenção
Evite o contato e áreas infestadas por carrapatos. Ao realizar algum tipo de turismo ecológico ou caso estiver no campo, use sempre roupas claras pois facilita na identificação de carrapatos. Ao realizar trilhas, use camisetas de manga longa, calça dentro das meias e botas.
Como remover um carrapato
Popularmente (e de forma errônea) os carrapatos são removidos em meio a desespero e o mais rápido possível com as unhas, e após remoção são eliminados no fogo ou esmagados com os pés. Porém, não há motivo para desespero ao encontrar um carrapato no corpo, uma pinça de ponta fina é suficiente para a remoção. Tente segurar o carrapato com o auxílio de uma pinça o mais próximo possível da pele. Em seguida, puxe o carrapato para cima sem esmagar ou torcer, evitando assim que partes do carrapato fiquem presas na pele. Após a remoção higienizar bem o local com água e sabão.
Na roupa, os carrapatos são facilmente removidos com o uso de uma fita adesiva.
Curiosidades
Não existem evidências da transmissão da doença de Lyme entre pessoas, como por exemplo, através de contato, beijo ou relações sexuais com pessoas infectadas, segundo CDC (Centers for Disease Control and Prevention).
Carrapatos também transmitem outras doenças como a febre maculosa e babesiose canina.
No Brasil, mesmo sendo considerada uma doença de baixa incidência, é necessário um alerta para o turismo. Há países como Estados Unidos onde foram confirmados mais de 25.000 casos da doença de Lyme em 2014, sendo Massachusetts, Pensilvânia e Nova Iorque as cidades com os maiores números de casos confirmados, segundo CDC.

Artigo publicado na minha coluna do jornal Gazeta de S. Paulo - 16 de Outubro/2015 - Confira!
Informações importantes e de fácil compreensão ao alcance da população.

Artigo por: Marcel Alex Machado

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.

Licença Creative Commons
Esta publicação está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. Não é permitido duplicar, copiar ou reproduzir qualquer parte sem autorização prévia.

0 comentários:

Postar um comentário

2007-2016. Biomedicina Brasil. Tecnologia do Blogger.