Pular para o conteúdo principal

Curitiba ganha Delegacia Regional de Biomedicina

Nova sede (Foto: CRBM 1ª Região).
O estado brasileiro com o segundo maior número de biomédicos inscritos conta agora com uma sede física da seccional e delegacia regional. No sábado, dia 16, foi inaugurado em Curitiba o escritório que representa a 1ª Região do Conselho Regional de Biomedicina (CRBM1). A autarquia garantirá maior interação com empresas e serviços públicos cujos serviços demandam a presença do profissional, como clínicas e hospitais públicos e particulares, além das instituições de ensino superior.

Estiveram presentes no evento oficial autoridades da área, como delegados do estado do Paraná e São Paulo, diretores da Associação Brasileira de Biomedicina (ABBM), presidentes e diretores das autarquias federal e regionais, além de coordenadores de cursos de graduação e pós-graduação.

Na ocasião, foi empossado o novo delegado regional Thiago Yuiti Castilho Massuda, perito oficial do Instituto de Criminalística do Paraná. Eleito para o cargo devido à grande experiência acadêmica, ele destacou que a presença em Curitiba da autarquia federal garantirá à população uma maior qualidade dos serviços de saúde.

“O maior desafio será o inspecionamento no interior, principalmente nas cidades que não contam com representantes do Conselho Regional. Atualmente, há delegados presentes em Campo Mourão, Cascavel, Guarapuava, Londrina, Maringá e União da Vitória”, cita Thiago.

O presidente do CRBM1, Dácio Campos, destacou a relevância do Paraná para a Biomedicina pelo número de instituições de ensino existentes – hoje há um total de 19. O presidente comenta que já foi implantado sistema que permite a emissão de documentações para novos biomédicos com maior agilidade, e que há planos para, em médio prazo, a criação de um Conselho Regional do Paraná, o CRBM6.

“Já está sendo providenciada a abertura de concurso para a contratação de fiscais, que atuarão em todo o estado a partir da capital paranaense. Eles visitarão clínicas, hospitais, indústrias alimentícias e outros estabelecimentos, e entregarão aos gestores exemplares do Manual do Biomédico. O profissional ou a empresa que estiver em situação irregular será notificado a se regularizar.”

Para o diretor tesoureiro do CFBM, Edgar Garcez, a nova seccional e delegacia regional tornarão mais fácil a participação da categoria na esfera política, e a sua entrada na administração pública. Também mostrará à sociedade a importância do biomédico nas habilitações, com destaque às novas áreas, como a genética, estética, imagenologia e acupuntura, dentre outras. Ele ainda acenou para o crescente surgimento de vagas na indústria, tirando assim o profissional da atuação apenas no setor da saúde. “O Paraná é destaque na solidificação de comidas processadas, que é um segmento onde a Biomedicina se encaixa perfeitamente”.

Dr. Edgar Garcez, Drª. Janaina Nasser, Dr. Dácio Campos e Dr. Thiago Massuda, novo delegado regional de Curitiba (Foto: Gustavo Zielonka).
Delegacia Seccional de Biomedicina
Avenida Padre Anchieta, 2454, conjunto 408, Bigorrilho, Curitiba – PR.
(41) 3042-4644 / seccionalpr@crbm1.gov.br

Fonte: Paran@shop / Gustavo Zielonka

Comentários

Artigos populares

Tubos para coleta de sangue

Os tubos de coleta de sangue são estéreis, feitos de vidro ou plástico e alguns possuem vácuo. Comumente utilizados em punções venosas, eles são projetados para a coleta, transporte e processamento das amostras.

O interior destes tubos pode ser revestido com anticoagulantes e as vedações preservam a integridade da amostra até a chegada ao laboratório. Embora não seja necessário ao coletor conhecer todos os detalhes sobre os procedimentos analíticos dos testes hematológicos, é essencial conhecer o tipo de amostra necessária para cada análise.


Tipo de Análise - Tipo de Amostra Bioquímica e Sorologia - Soro ou plasma Hematologia - Sangue total com EDTA Glicemia - Plasma com fluoreto de sódio Coagulação - Plasma com citrato de sódio
Tubos para coleta
A amostra deve ser coletada em tubos específicos para cada tipo de análise, sendo de extrema importância conhecê-los para a realização correta do exame. O material colhido em recipiente inadequado será rejeitado e descartado pelo laboratório p…

Conheça os principais meios de cultura

O crescimento dos microrganismos nos diferentes meios de cultura utilizados fornece as primeiras informações para a sua identificação. É importante conhecer o potencial de crescimento de cada meio de cultura e adequar ao perfil bacteriano esperado para cada material.


Alguns procedimentos são essenciais na hora da preparação de cada meio de cultura para a obtenção de melhores resultados e evitar contaminações, como nos diferentes casos: quando distribuir o meio antes de autoclavar, os tubos não precisam estar esterilizados; quando distribuir o meio após a autoclavação, os tubos, frascos, placas, pipetas e vidrarias ou materiais auxiliares obrigatoriamente devem ser estéreis e os meios devem ser autoclavados com as tampas semi-abertas, para que a esterilização seja por igual em todo o conteúdo dos tubos - tampas fechadas não permitem a entrada do vapor.

Ágar nutriente (AN)

Meio relativamente simples, de fácil preparo e barato, muito usado nos procedimentos do laboratório de microbiologi…

Vírus Epstein-Barr

O vírus Epstein-Barr, frequentemente referido como EBV, é um membro da família dos herpesvírus e um dos mais comuns nos humanos. O vírus ocorre em todo o mundo, e a maioria das pessoas é infectada com EBV em algum momento durante suas vidas.


Crianças tornam-se suscetíveis ao EBV tão logo a proteção de anticorpos maternos (presente no nascimento) desaparece. Muitas crianças são infectadas com EBV, e essas infecções geralmente não causam sintomas ou são indistinguíveis. Nos países desenvolvidos, muitas pessoas não estão infectadas com EBV na infância. Quando a infecção com EBV ocorre durante a adolescência ou na idade adulta jovem, provoca a mononucleose infecciosa em 35% a 50% dos casos.

Os sintomas da mononucleose infecciosa são febre, dor de garganta e aumento dos gânglios linfáticos. Às vezes, há o envolvimento do fígado e do baço. Problemas cardíacos ou envolvimento do sistema nervoso central ocorrem raramente, e a mononucleose infecciosa quase nunca é fatal. Não há associações co…