29.5.15

Biomedicina, Hematologia e Banco de Sangue

A Hematologia é o estudo da morfologia e fisiologia do sangue que envolve a análise dos glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plaquetas, vasos sanguíneos, medula óssea, nódulos linfáticos, baço, proteínas envolvidas na coagulação e hemorragia.

É uma habilitação que requer a interpretação de dados quantitativos e qualitativos para diagnosticar situações sanguíneas anormais, contribuindo para o atendimento rápido e eficaz do paciente. Em geral, os hematologistas quantificam as células de sangue, hemoglobina, tempo de coagulação e descrevem a estrutura, forma e número de elementos celulares ao microscópio ou por métodos automatizados. Membro de uma equipe multidisciplinar, o hematologista utiliza o seu conhecimento em diferentes ambientes de atenção à saúde, que incluem laboratórios de hematologia, hemostase, transfusão e bancos de sangue.

Imagem: Andrew Mason.

Os exames de hematologia, entre os mais pedidos e executados em um laboratório de rotina, têm sido automatizados na grande maioria dos serviços de saúde, mas ainda requerem a experiência de um hematologista para avaliação de alterações. Além de oferecer alta sensibilidade e precisão, a automação agiliza o processo, permitindo analisar uma quantidade maior de exames com resultados confiáveis, e consequentemente, atender um maior número de pacientes.

A função dos bancos de sangue de hospitais, além do armazenamento, é garantir que os grupos sanguíneos de doadores e receptores sejam compatíveis para que os procedimentos de transfusão sejam corretos e as frações de plasma estejam disponíveis para serem administradas aos pacientes.

Teoria

A especialização em Hematologia e/ou Banco de Sangue deve proporcionar ao biomédico conhecimentos necessários para a realização das seguintes atividades:

 Executar trabalhos específicos e relacionados ao processamento semi-industrial e industrial do sangue, correlatos e realizar todos os procedimentos técnicos de banco de sangue, transfusão, infusão de sangue, hemocomponentes e hemoderivados;
 Executar o processamento de sangue e suas sorologia por técnicas manuas e automatizadas;
 Realizar exames pré e pós transfusionais em serviços de hemoterapia;
 Identificar alterações das células sanguíneas e produzir relatórios clínicos para auxiliar as equipes médicas sobre a real condição de um paciente;
 Assumir chefias técnicas, assessorias e direção de unidades;
 Manusear equipamentos de auto-transfusão.

O profissional legalmente habilitado nesta área poderá exercer todas as atividades inerentes a este campo, com exceção do ato transfusional. A responsabilidade técnica deve ficar a cargo de um médico especialista em Hemoterapia e/ou Hematologia.

Resoluções

Para habilitação em Hematologia e/ou Banco de Sangue, os biomédicos devem realizar cursos de pós-graduação lato sensu ou strictu sensu, reconhecidos pelo MEC.

Assim, para inclusão da habilitação conforme o Conselho Regional de Biomedicina, o profissional biomédico deverá obter sua experiência comprovada das seguintes maneiras: pelos cursos de pós-graduação, na conclusão da graduação (via estágio supervisionado de 500 horas) e nas residências multi-profissionais ou biomédicas, mediante comprovação de tempo de atuação ou residência.


Prática

O hematologista tem o seu trabalho voltado para o diagnóstico e acompanhamento de doenças do sangue e órgãos hematopoiéticos. Realizam uma série de exames no sangue e investigam os elementos celulares e várias proteínas incluindo a hemoglobina e fatores da coagulação. Testes hematológicos são realizados em amostras sanguíneas para diagnosticar doenças, tais como leucemia, anemia e desordens na coagulação.

Além da ampla variedade de testes de laboratório, estes profissionais são responsáveis ​​por receberem espécimes clínicos, realizarem o controle de qualidade e manterem a sua instrumentação em conformidade para assegurar a qualidade no resultado, como na hemoterapia, por exemplo.

Os biomédicos que trabalham em Bancos de Sangue auxiliam no fornecimento de sangue e hemoderivados para pacientes acidentados gravemente, com anemia, problemas de coagulação e em casos de leucemia. Responsáveis pela identificação dos grupos sanguíneos e testes de compatibilidade entre doadores e receptores, também estão envolvidos na preparação dos componentes do sangue e plasma.


$ Salário $

O salário de um biomédico hematologista recém-formado inicia em torno de R$2.200,00, aumentando de acordo com o nível de especialização e experiência na atividade. A remuneração também pode variar de acordo com o porte da instituição ou hospital em que o profissional trabalhar.

Opinião profissional

Nesta seção, entrevistamos um hematologista para que você possa conhecer um pouco mais sobre a habilitação.

Paulo César Naoum - biomédico graduado pela UNESP de Botucatu em 1969. Doutorou-se em 1972, Livre-Docência em 1983 e Professor Titular pela UNESP em 1989. Foi assessor da Organização Mundial da Saúde para o controle de hemoglobinopatias na América Latina, bem como do Ministério da Saúde. Fez Pós-Doutorado na Universidade de Cambridge, Inglaterra, onde aprendeu bioquímica molecular. Elucidou as causas da anencefalia causada pela poluição industrial em 1984 e mapeou as hemoglobinopatias no Brasil entre 1979 a 1990. Publicou artigos científicos em revistas especializadas do Brasil, USA, Costa Rica, Bolívia, Suíça, Suécia, Espanha e Rússia. É autor de onze livros científicos nas áreas de hematologia, análises clínicas e bioquímica clínica. Foi diretor da UNESP de São José do Rio Preto entre 1990 e 1994 e presidente de várias organizações sociais. Atualmente dirige a Academia de Ciência e Tecnologia que fundou em 1999, instituição especializada em cursos de pós-graduação Lato-Sensu em Hematologia.
Contato → Site

Entrevista

1 - Por que escolheu a Hematologia?
Paulo César Naoum - A escolha se deu devido ao interesse em Histologia durante o curso de graduação. No estágio obrigatório de Análises Clínicas este interesse tornou-se mais evidente. Em seguida, durante estágio no Laboratório de Hematologia do Hospital São Paulo, em São Paulo, aprendi os princípios da eletroforese de hemoglobinas. A partir de então dediquei-me ao estudo de anemias hereditárias e outras alterações hematológicas. Atualmente dedico-me ao estudo de sinalizações celulares no câncer humano.

2 - Qual é a sua avaliação para o mercado de trabalho nessa área?
Paulo César Naoum - A hematologia se automatizou na sua rotina, mas necessita de profissionais especializados em imunofenotipagem, citogenética, citometria de fluxo e biologia molecular. Nestas áreas há vagas disponíveis, com salários superiores àquelas que fazem rotina básica. Mas é muito importante entender de rotina básica para ser um profissional especializado mais completo. Fundamental ler, escrever e falar inglês.

3 - Na sua opinião, quais as vantagens e desvantagens da Hematologia?
Paulo César Naoum - Como área de saber, nenhuma. Para o profissional, entretanto, a desvantagem é se tornar um técnico tradicional, que só pensa em desempenhar técnicas na bancada, em detrimento de se atualizar cientificamente. A Hematologia, seguramente, é a área que mais desenvolve tecnológica e cientificamente, notadamente nas aplicações de imunologia e biologia molecular. Isto é vantagem perante as outras áreas.

4 - Considerações finais.
Paulo César Naoum - O progresso de um profissional depende dele. Nesta dependência incluem a ambição, a vontade de estudar, a comunicação, a cultura geral e a vontade de vencer barreiras.

COMPARTILHE

Autor(a):

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.

0 comentários: