Acupuntura

Biomedicina e Acupuntura

A Acupuntura é um elemento importante da Medicina Tradicional Chinesa originado há mais de 4.500 anos. Sua principal teoria baseia-se na premissa de que existem padrões de fluxo de energia (Qi) no corpo, que são essenciais para a saúde. Acredita-se que interrupções neste fluxo podem ser responsáveis pelo desenvolvimento de doenças. Para harmonizar os canais de energia e promover o bem estar físico e mental do indivíduo, é necessário corrigir os desequilíbrios de fluxo em pontos identificáveis da pele.

Foto: Bill Bengston / Fort Gordon Public Affairs Office.
Nas últimas décadas, a prática da Acupuntura se espalhou pelo mundo e continua evoluindo, com diferentes estilos. Em adição à metodologia tradicional, destacam-se a Acupuntura japonesa, coreana, auricular, médica e veterinária.

Teoria

A especialização em Acupuntura permite ao biomédico conhecer os princípios da medicina oriental. Com destaque para a medicina tradicional chinesa, o curso aborda conceitos de Yin-Yang, cinco fases, funções de Qi, manifestações fisiológicas e patológicas do Zang-Fu (órgãos e vísceras), entre outros.

Resoluções

Para habilitação em Acupuntura, os biomédicos devem realizar cursos de pós-graduação lato sensu ou strictu sensu, reconhecidos pelo MEC. Também podem fazer a prova de título de especialista em Acupuntura aplicada pela Associação Brasileira de Biomedicina (ABBM), porém esta é opcional. A prova é elaborada pela Associação Biomédica de Acupuntura (ABIOMAC).

Assim, para inclusão da habilitação conforme o Conselho Regional de Biomedicina, o profissional biomédico deverá obter sua experiência comprovada das seguintes maneiras: pelo título de especialista da Associação Brasileira de Biomedicina (onde se faz necessário outros pré-requisitos além de estágio/atuação na área, tempo de atuação, cursos de pós-graduação, etc.), na conclusão da graduação (via estágio supervisionado de 500 horas) e nas residências multi-profissionais ou biomédicas, mediante comprovação de tempo de atuação ou residência.

 Resolução nº 002, de março de 1995 do CFBM.
 Resolução nº 185, de agosto de 2010 do CFBM.

Prática

Na prática, é necessário que o profissional tenha conhecimento sobre os pontos de Acupuntura, meridianos e colaterais, causas e mecanismos da doença e métodos de diagnóstico (anamnese, observação da língua, palpação e ausculta).

O princípio da Acupuntura tradicional visa liberar o fluxo de energia vital (Qi) pela inserção de agulhas estéreis, estimulando receptores sensoriais do corpo (pontos específicos). Cientistas afirmam que os nervos estimulados desencadeiam a liberação de endorfinas (analgésicos naturais) e o aumento do fluxo sanguíneo, alterando a atividade cerebral.

Imagem: Andreas Cleyer / Specimen Medicinae Sinicae, 1682.

Apesar da utilização de agulhas, a Acupuntura é relaxante e praticamente indolor. As agulhas são muito finas e os poucos efeitos causados pela sua inserção podem ser formigamento, dormência e calor no local. Efeitos colaterais mais graves como sudorese excessiva, náusea, tontura e desmaio podem ocorrer, mas são muito raros.

$ Salário $

O valor do tratamento com Acupuntura varia de acordo com o profissional e com a técnica utilizada. O acupunturista pode cobrar um preço fixo por sessão ou ter um preço total para um tratamento, já que alguns requerem um número mínimo de sessões.

Algumas das diferentes formas de tratamento da Acupuntura são:

→ Auriculoterapia
Aplicação de agulhas em pontos específicos da orelha.

→ Eletroacupuntura
Estimulação com o uso de corrente elétrica e eletrodos.

→ Moxacombustão
Aplicação de erva (moxa) e calor em pontos específicos do corpo.

→ Sangria
Punção com lancetas que alivia o inchaço e estimula a circulação.

→ Tui Na
Fisioterapia e massagens.

→ Gua Sha
Raspagem da pele em regiões específicas da pele.

→ Ventosaterapia
Utilização de vácuo e sucção para o alívio da dor.

→ Quiroacupuntura
Aplicação de agulhas em pontos específicos das mãos.

Opinião profissional

Nesta seção, entrevistamos três acupunturistas para que você possa conhecer um pouco mais sobre a habilitação.

Tatiana Miranda de Carvalho Serran - biomédica formada na UCG em 2001, especialista em Acupuntura pelo CEATA em 2004, especialista em Docência Universitária pela Faculdade Araguaia em 2007. Em 2010, fui para Beijing - China, me atualizar em medicina chinesa. Fui docente da PUC Goiás no curso de Biomedicina, onde implantei na grade curricular da instituição a matéria optativa Acupuntura . Fui Presidente da Comissão de Acupuntura do CRBM-3 de 2010-2014. Hoje moro em Brasília, onde sou proprietária da Accus Centro de Acupuntura (61-33470159), um centro especializado em medicina chinesa. Sou docente na pós graduação de Acupuntura do CETN Goiânia e coordenadora de ambulatório da mesma instituição. Sou docente de Acupuntura Estética na pós graduação de Saúde Estética da Incursos.
Contatos  E-mail: tatimc@gmail.com | Facebook | Site


José Roberto Tavares Lima - biomédico formado pela UNIARARAS - SP. Especialista em Acupuntura  e fitoterapia (plantas medicinais) pelo I.B.E.H.E. Membro da Associação Biomédica de Acupuntura (ABIOMAC) e Associação Brasileira de Homeopatia e Homotoxicologia (A.B.H.H.). Consultório em Santos - SP, atendendo na modalidade de Acupuntura (Medicina Tradicional Chinesa), Auriculoterapia e Laserterapia.
Contatos → E-mail: acupunturatavares@gmail.com | Site


Mariane Capitelli - biomédica formada pelo Centro Universitário Barão de Mauá, habilitada em Patologia Clínica, Acupuntura e pós-graduada em Biomedicina Estética.
Contato → Facebook




Entrevista


1 - Por que escolheu a acupuntura?
Tatiana - Quando estava quase me formando em Biomedicina, sabia que não queria apenas trabalhar em bancada. E, tendo visto meu histórico de pesquisa com o CNPq e o contato com os pacientes do Hospital das Clínicas de Goiás, eu resolvi que queria algo além de analisar amostras e laudar exames, e sim manter o contato com o paciente. E, no momento ,teria duas opções, ou Acupuntura ou Engenharia Genética. Confesso que as duas me encantavam. Mas, na mesma época fui surpreendida por um amigo com uma sessão de Acupuntura de presente, e amei! Me vi fazendo aquele trabalho, me encontrei. Um trabalho onde poderia ter o contato com meu paciente, atender individualmente e personalizar meu trabalho. Um consultório, uma luz baixa, uma musica sublime de fundo, uma boa energia. A partir daí comecei a buscar as melhores escolas de especialização na área, quando no final escolhi o CEATA de São Paulo. Foram dois anos maravilhosos, de muito aprendizado. Mas sabia que era apenas o começo, e seis anos depois, fui conhecer o berço da Medicina Chinesa e me especializar um pouco mais.

José Roberto - Quando me formei tínhamos apenas uma habilitação (Patologia Clínica) e que eu gostava muito. Mas após 10 anos trabalhando com Patologia, sempre nos bastidores, pois não lidamos diretamente com o paciente, encontrei a Acupuntura, que foi uma de nossas próximas habilitações na época, como uma maneira de exercer tudo que havia aprendido na faculdade, juntamente com uma nova maneira de enxergar o ser humano através da visão da Medicina Tradicional Chinesa e ainda lidar diretamente com o paciente. Então, fiz minha Especialização e montei meu consultório.

Mariane - Quando eu escolhi cursar Biomedicina, não era minha intenção atuar como acupunturista. Mas sempre me interessei por medicina alternativa e por curiosidade comecei a ler sobre Medicina Chinesa e me identifiquei muito pela cultura e sabedoria dessa prática.
No último ano da minha graduação, a acupuntura entrou como uma 2ª habilitação opcional e decidi cursar. No decorrer do curso eu me encantei cada vez mais e me impressionava com o bem estar físico e emocional que eu podia proporcionar as pessoas, aliviando dores e estresse.

2 - Qual é a sua avaliação para o mercado de trabalho nessa área?
Tatiana - Por clinicar e ser docente da área, vejo um crescimento na procura pela especialização em Acupuntura. Infelizmente todo início é complicado e o profissional liberal deve ter persistência a fim de alcançar seus ideais, assim como em toda profissão. Hoje em dia existe um mercado mais aberto, alguns planos de saúde aceitam profissionais não- médicos. Essa briga com planos de saúde é constante, e a própria ANS é contra essa reserva de mercado. O mercado poderia ser mais promissor se não houvesse tanta briga de classe, onde a saúde da população pudesse ser o alvo principal e não essa rixa. Quando estive em Beijing vi o que é realmente a saúde publica funcionar. Dentro de um mesmo hospital tem a ala de medicina ocidental e a ala de medicina oriental. Uma complementando a outra e ,não competindo. E o paciente passando pelas duas, sendo tratado integralmente.

José Roberto - O mercado é promissor, mas temos que ter paciência. Tenho consultório particular já há mais de 17 anos e sobrevivo exclusivamente dele. Porém, quando comecei, tinha meu trabalho como Patologista, Professor e atendia apenas duas manhãs. As coisas foram melhorando e há 12 anos vivo só do consultório. Continuo dando aulas em cursos de formação de acupunturistas e cursos de aperfeiçoamento, mas não dependo deles para sobreviver. 

Mariane - É uma área crescente, pois hoje cada vez mais as pessoas tem consciência de que precisam buscar outras alternativas que não sejam remédios para aliviar suas dores tanto físicas quanto emocionais.
O principal para se destacar nessa área é ter um grande conhecimento teórico e prático da técnica, ou seja, não ter preguiça de estudar, já que a Medicina Chinesa é totalmente diferente da nossa Medicina Convencional. Sendo um profissional bom e devidamente capacitado, pacientes não faltam.

3 - Na sua opinião, quais as vantagens e desvantagens da Acupuntura?
Tatiana - A Acupuntura tem várias vantagens: é uma técnica da Medicina Chinesa que trata a causa do problema, trata o paciente holisticamente. Em poucas sessões pode-se reestabelecer o fluxo energético e o paciente se sentir melhor, sem a ação de nenhum medicamento. E, é bom tratar em conjunto com a medicina alopática, auxiliando no processo de cura. 
Como desvantagem vejo apenas o fato de ser uma terapia que, por não ser aceita por alguns planos de saúde, pode sair um pouco caro para o cliente. Mas isso depende da visão de cada um de o que é ser caro. Na minha visão sai muito mais caro comprar caixas e caixas de medicamentos por mês que muitas vezes apenas mascaram o sintoma. Outra suposta desvantagem é que muitas pessoas tem medo de agulhas, mas hoje em dia podemos fazer os estimulos nos acupontos com outros materiais , como o laser, o magneto, a pastilha de silício.

José Roberto - Só vejo vantagens na Acupuntura, pois trata o ser humano como um todo e não seccionado como é a tendência da medicina convencional. Talvez uma desvantagem não seja da Acupuntura, mas do Acupunturista. Quando o profissional não é habilitado, poderá cometer vários erros que culminarão com a crítica sobre a técnica. As pessoas quando fazem acupuntura e não resolvem seus problemas, não aceitam que o profissional é quem poderia ter deixado a desejar. Sempre criticam a técnica. Isso é ruim, pois muitas vezes o problema não está nem na técnica e nem no profissional, mas na própria resposta individual do paciente.

Mariane - Como vantagem eu vejo a realização profissional que ela me traz  de poder ser reconhecida pelo que faço, além de ser uma renda a mais já que outras áreas como Análises Clínicas andam tão desvalorizadas. Uma vantagem também muito relevante é que não necessita de altos investimentos para atender.
A única desvantagem é ela ainda não ser de conhecimento da maioria da população e nem todos conseguirem aceso a ela, ou também de encontrar resistência de algumas pessoas por ser uma técnica realizada com agulhas. Mas esse problema é facilmente resolvido, pois hoje no mercado existem vários lasers desenvolvidos para substituir as agulhas e com igual ou melhor efeito que essas.

4 - Considerações finais.
Tatiana - Enfim, acredito que se todos pudessem receber pelo menos uma sessão de Acupuntura para experimentar seus benefícios, muitos se tornariam adeptos e se livrariam de alguns padrões energéticos tão recorrentes. Tenho ainda a esperança que o mercado de Acupuntura para profissionais que não sejam médicos melhore, pois o que temos que ter em mente é que o pré requisito para uma pós graduação nessa área é que se tenha um diploma na área de saúde, com algumas matérias básicas como fisiologia humana, anatomia humana, patologia humana. O resto é aprendido, inicialmente, em 2 anos de curso, com uma visão totalmente voltada para a medicina chinesa, onde o diagnóstico não é nosológico e sim energético. Não se fala em patologia e sim em síndrome energética. Acredito que a saúde para ser plena deve ser voltada para o físico, o mental e o espiritual. Obrigada pela oportunidade em apresentar um pouco da minha grande paixão , a medicina chinesa para os meus colegas biomédicos. E, me coloco a disposição caso alguém precise de alguma informação.

José Roberto - Para os colegas biomédicos que desejam enveredar por essa área, sugiro que estudem muito e façam um curso de boa formação. Respeitem o Código de Ética dos Biomédicos, pois lá tem tudo para você se dar bem na profissão. Muitos colegas receberam o Código por ocasião do registro no CRBM, mas nunca abriram para ler. O sucesso de alguém não depende apenas da sua interação com o trabalho e sua formação, mas também da aplicação dos princípios básicos para lidar com o outro, que está depositando em você toda a esperança de melhora. O nome desses princípios básicos chama-se Código de Ética!

Mariane - É uma ótima área e que cresce cada vez mais e que o único investimento é em conhecimento.

Artigo por: Raphael Gonçalves Nicésio

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.

Licença Creative Commons
Esta publicação está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. Não é permitido duplicar, copiar ou reproduzir qualquer parte sem autorização prévia.

0 comentários:

Postar um comentário

2007-2016. Biomedicina Brasil. Tecnologia do Blogger.