Pular para o conteúdo principal

Novo método cria roedores quase transparentes

Pesquisadores no Japão criaram roedores quase que totalmente transparentes. Apesar das criaturas não sobreviverem, os cientistas acreditam que o método pode ser útil para uma grande variedade de estudos anatômicos.
 
A pesquisa dos cientistas do Centro Riken e colaboradores permitiu remover a cor do tecido de roedores por injeção de solução salina em seus corações, empurrando o sangue de seus sistemas circulatórios. Em seguida, os pesquisadores esfolaram os animais e usaram reagentes para remover o pigmento. O processo todo leva cerca de duas semanas para ser concluído. Ao final, um feixe de luz de laser é usado para criar a imagem em 3D do corpo.
 
As etapas do novo método. A imagem central mostra o rato após uma semana do processo. A imagem à direita exibe a última etapa, mostrando o cérebro do rato com seu crânio removido (Foto: AP/Cell).
 
Criar a transparência permitirá aos pesquisadores uma visão mais completa dos órgãos internos, como o cérebro, coração, pulmões, rins e fígado, sem nunca cortar os roedores. Também possibilitará uma "nova compreensão da estrutura 3D de órgãos e como certos genes são expressos em vários tecidos", afirma a pesquisa publicada na revista Cell.
 
"Ficamos muito surpresos que todo o corpo de ratos jovens e adultos poderiam ser quase transparentes," disse Kazuki Tainaka, o principal autor do estudo, em um comunicado à imprensa. "Isso nos permitiu ver as redes celulares dentro dos tecidos, que é um dos desafios fundamentais da biologia e da medicina."
 
 
Corpo de roedor com transparência (Foto: Riken/AFP).
 
Na prática, a técnica pode ser usada para ver como o cancro e as doenças auto-imunes se desenvolvem ao nível celular.
 
"Este novo método pode ser usado para a patologia 3D, estudos anatômicos e imunohistoquímica de organismos inteiros", afirma Hiroki Ueda, que liderou a equipe de pesquisa. Ueda acrescentou que o estudo permitirá uma "compreensão mais profunda de tais doenças e, talvez, para novas estratégias terapêuticas. Isso poderia levar à realização de um dos nossos grandes sonhos, biologia de sistemas em nível de organismo com base em imagens de corpo inteiro na resolução de uma única célula."
 
 
The Washington Post / Associated Press

Artigos populares

Tubos para coleta de sangue

Os tubos de coleta de sangue são estéreis, feitos de vidro ou plástico e alguns possuem vácuo. Comumente utilizados em punções venosas, eles são projetados para a coleta, transporte e processamento das amostras.

O interior destes tubos pode ser revestido com anticoagulantes e as vedações preservam a integridade da amostra até a chegada ao laboratório. Embora não seja necessário ao coletor conhecer todos os detalhes sobre os procedimentos analíticos dos testes hematológicos, é essencial conhecer o tipo de amostra necessária para cada análise.


Tipo de Análise - Tipo de Amostra Bioquímica e Sorologia - Soro ou plasma Hematologia - Sangue total com EDTA Glicemia - Plasma com fluoreto de sódio Coagulação - Plasma com citrato de sódio
Tubos para coleta
A amostra deve ser coletada em tubos específicos para cada tipo de análise, sendo de extrema importância conhecê-los para a realização correta do exame. O material colhido em recipiente inadequado será rejeitado e descartado pelo laboratório p…

Conheça os principais meios de cultura

O crescimento dos microrganismos nos diferentes meios de cultura utilizados fornece as primeiras informações para a sua identificação. É importante conhecer o potencial de crescimento de cada meio de cultura e adequar ao perfil bacteriano esperado para cada material.


Alguns procedimentos são essenciais na hora da preparação de cada meio de cultura para a obtenção de melhores resultados e evitar contaminações, como nos diferentes casos: quando distribuir o meio antes de autoclavar, os tubos não precisam estar esterilizados; quando distribuir o meio após a autoclavação, os tubos, frascos, placas, pipetas e vidrarias ou materiais auxiliares obrigatoriamente devem ser estéreis e os meios devem ser autoclavados com as tampas semi-abertas, para que a esterilização seja por igual em todo o conteúdo dos tubos - tampas fechadas não permitem a entrada do vapor.

Ágar nutriente (AN)

Meio relativamente simples, de fácil preparo e barato, muito usado nos procedimentos do laboratório de microbiologi…

Vírus Epstein-Barr

O vírus Epstein-Barr, frequentemente referido como EBV, é um membro da família dos herpesvírus e um dos mais comuns nos humanos. O vírus ocorre em todo o mundo, e a maioria das pessoas é infectada com EBV em algum momento durante suas vidas.


Crianças tornam-se suscetíveis ao EBV tão logo a proteção de anticorpos maternos (presente no nascimento) desaparece. Muitas crianças são infectadas com EBV, e essas infecções geralmente não causam sintomas ou são indistinguíveis. Nos países desenvolvidos, muitas pessoas não estão infectadas com EBV na infância. Quando a infecção com EBV ocorre durante a adolescência ou na idade adulta jovem, provoca a mononucleose infecciosa em 35% a 50% dos casos.

Os sintomas da mononucleose infecciosa são febre, dor de garganta e aumento dos gânglios linfáticos. Às vezes, há o envolvimento do fígado e do baço. Problemas cardíacos ou envolvimento do sistema nervoso central ocorrem raramente, e a mononucleose infecciosa quase nunca é fatal. Não há associações co…