Pular para o conteúdo principal

Empreendedorismo biomédico

Biomédicos empreendedores trabalham voltados para o mercado desde a graduação e desenvolvem características que unem empreendedorismo empresarial e gestão administrativa, o que pode acarretar no gerenciamento de seus próprios laboratórios ou na montagem de empresas inerentes as suas habilidades desenvolvidas durante suas graduações. O profissional que embarca nessa carreira visionária fica atento à evolução do negócio para absorver os pontos-chaves e se destacar no mercado competitivo, se tornando um profissional na área de saúde diferenciado no mercado e com os olhos voltados a um horizonte mais distante.
Assim, apresentamos a Salus Consultoria, Empresa Júnior de Biomedicina da Universidade Estadual de Maringá, sendo a 2ª Empresa Júnior fundada no Brasil e a primeira da região sul do Brasil. Mas, o que é uma Empresa Júnior? É uma associação civil sem fins lucrativos e com fins educacionais formada exclusivamente por alunos do ensino superior. Uma organização cujo objetivo primário é formar, por meio da vivência empresarial, empreendedores comprometidos e capazes de transformar o país.
A Salus, hoje, é uma empresa que oferece como serviços Treinamentos em Boas Práticas de Manipulação do alimento e Elaboração do Manual da qualidade, e ao longo de 2014 desenvolveu vários projetos com um foco socioeducacional. Dentre eles podemos destacar: Salus Educa: Combate a Infecção Hospitalar, Projeto Impacto, com campanhas simultâneas de arrecadações (alimentos, produtos de limpeza e higiene, brinquedos, roupas, livros, entre outros), Salus Cuida, no qual alertamos sobre os cuidados básicos com saúde, 1ª Ação Universitária Empreendedora (AUEMP) e também treinamentos relacionados com a área de atuação da empresa, Boas práticas de manipulação (BPM) e Elaboração do Manual de Qualidade.


Nós acreditamos no Movimento Empresa Júnior, e temos a clara certeza que estamos nos tornando pessoas muito mais competentes e responsáveis no cuidado com a Saúde.” – Luana Gabriela Pereira de Araújo, Presidente da Salus.

Postagens mais visitadas deste blog

Tubos para coleta de sangue

Os tubos de coleta de sangue são estéreis, feitos de vidro ou plástico e alguns possuem vácuo. Comumente utilizados em punções venosas, eles são projetados para a coleta, transporte e processamento das amostras.

O interior destes tubos pode ser revestido com anticoagulantes e as vedações preservam a integridade da amostra até a chegada ao laboratório. Embora não seja necessário ao coletor conhecer todos os detalhes sobre os procedimentos analíticos dos testes hematológicos, é essencial conhecer o tipo de amostra necessária para cada análise.


Tipo de Análise - Tipo de Amostra Bioquímica e Sorologia - Soro ou plasma Hematologia - Sangue total com EDTA Glicemia - Plasma com fluoreto de sódio Coagulação - Plasma com citrato de sódio
Tubos para coleta
A amostra deve ser coletada em tubos específicos para cada tipo de análise, sendo de extrema importância conhecê-los para a realização correta do exame. O material colhido em recipiente inadequado será rejeitado e descartado pelo laboratório p…

Conheça os principais meios de cultura

O crescimento dos microrganismos nos diferentes meios de cultura utilizados fornece as primeiras informações para a sua identificação. É importante conhecer o potencial de crescimento de cada meio de cultura e adequar ao perfil bacteriano esperado para cada material.


Alguns procedimentos são essenciais na hora da preparação de cada meio de cultura para a obtenção de melhores resultados e evitar contaminações, como nos diferentes casos: quando distribuir o meio antes de autoclavar, os tubos não precisam estar esterilizados; quando distribuir o meio após a autoclavação, os tubos, frascos, placas, pipetas e vidrarias ou materiais auxiliares obrigatoriamente devem ser estéreis e os meios devem ser autoclavados com as tampas semi-abertas, para que a esterilização seja por igual em todo o conteúdo dos tubos - tampas fechadas não permitem a entrada do vapor.

Ágar nutriente (AN)

Meio relativamente simples, de fácil preparo e barato, muito usado nos procedimentos do laboratório de microbiologi…

Vírus Epstein-Barr

O vírus Epstein-Barr, frequentemente referido como EBV, é um membro da família dos herpesvírus e um dos mais comuns nos humanos. O vírus ocorre em todo o mundo, e a maioria das pessoas é infectada com EBV em algum momento durante suas vidas.


Crianças tornam-se suscetíveis ao EBV tão logo a proteção de anticorpos maternos (presente no nascimento) desaparece. Muitas crianças são infectadas com EBV, e essas infecções geralmente não causam sintomas ou são indistinguíveis. Nos países desenvolvidos, muitas pessoas não estão infectadas com EBV na infância. Quando a infecção com EBV ocorre durante a adolescência ou na idade adulta jovem, provoca a mononucleose infecciosa em 35% a 50% dos casos.

Os sintomas da mononucleose infecciosa são febre, dor de garganta e aumento dos gânglios linfáticos. Às vezes, há o envolvimento do fígado e do baço. Problemas cardíacos ou envolvimento do sistema nervoso central ocorrem raramente, e a mononucleose infecciosa quase nunca é fatal. Não há associações co…