Pular para o conteúdo principal

O vírus Ebola na África Ocidental

A escala, duração e letalidade da epidemia de Ebola gerou medo e ansiedade na população mundial. Tais reações são compreensíveis, dada a elevada taxa de mortalidade e ausência de uma vacina eficaz ou cura.

Definição
Imagem: CDC/Cynthia Goldsmith via Wikimedia Commons.
O vírus Ebola causa uma doença grave, muitas vezes fatal, com uma taxa de letalidade de até 90%. É uma das infecções mais virulentas do mundo. Pode ser transmitida por contato direto com o sangue, fluidos corporais e tecidos de animais ou pessoas infectadas. Pacientes gravemente enfermos necessitam de cuidados intensivos. Durante um surto, aqueles com maior risco de infecção são os profissionais de saúde, familiares e outras pessoas em contato próximo com pessoas doentes e pacientes falecidos.
Os surtos de Ebola podem devastar famílias e comunidades, mas a infecção pode ser controlada através do uso de medidas de proteção recomendadas em clínicas e hospitais, em reuniões na comunidade ou em casa.

Epidemia de Ebola
Recentemente, medicamentos e vacinas experimentais estão criando algumas expectativas irrealistas, especialmente nesse clima emocional de medo intenso. No entanto, tais medicamentos estão sob investigação, pois ainda não foram testados em seres humanos e não são aprovados pelas autoridades reguladoras, além do uso para o cuidado compassivo.

Foto: Tommy Trenchard/REUTERS

A evidência da eficácia de tais medicamentos é sugestiva, mas não tem base em dados científicos sólidos provenientes de ensaios clínicos. A segurança também é desconhecida, levantando a possibilidade de efeitos secundários adversos quando administrados em humanos. Além disso, a administração é difícil e exigente, requer instalações de cuidados intensivos que são raras na África ocidental.
Segundo a OMS, o uso de medicamentos e vacinas experimentais, dadas as circunstâncias excepcionais deste surto, é eticamente aceitável.
Apesar dos esforços feitos para acelerar a produção, o abastecimento não aumentará por muitos meses. Assim, o abastecimento será pequeno demais para ter um impacto significativo sobre o surto. O governo canadense doou centenas de doses de uma vacina experimental para apoiar a resposta ao surto. A vacina totalmente testada e licenciada não estará pronta antes de 2015.

Décadas de pesquisa científica não conseguiram encontrar um agente curativo ou preventivo de segurança comprovada e eficácia em humanos, apesar de uma série de produtos promissores que estão atualmente em desenvolvimento.
Todos os rumores de quaisquer outros produtos ou práticas eficazes são falsas. A sua utilização pode ser perigosa. Na Nigéria, por exemplo, pelo menos duas pessoas morreram depois de beber água salgada, após rumores de esta ser protetora.
Os comportamentos mais eficazes são evitar situações de alto risco, determinar os sintomas da infecção, e relatar o quanto antes a autoridades de saúde locais. Evidências sugerem que o tratamento de suporte precoce melhora as perspectivas de sobrevivência.
O vírus Ebola é altamente contagioso, mas apenas em condições muito específicas, que envolvem contato próximo com os fluidos corporais de uma pessoa infectada ou cadáver. A maioria das infecções têm sido associadas a práticas funerárias ou a tratamentos de pessoas infectadas sem proteção, em casas ou nos centros de saúde. Além dessas possibilidades específicas para a exposição ao vírus, o público em geral não possui um elevado risco de infecção.

 Referência
World Health Organization - WHO

Postagens mais visitadas deste blog

Tubos para coleta de sangue

Os tubos de coleta de sangue são estéreis, feitos de vidro ou plástico e alguns possuem vácuo. Comumente utilizados em punções venosas, eles são projetados para a coleta, transporte e processamento das amostras.

O interior destes tubos pode ser revestido com anticoagulantes e as vedações preservam a integridade da amostra até a chegada ao laboratório. Embora não seja necessário ao coletor conhecer todos os detalhes sobre os procedimentos analíticos dos testes hematológicos, é essencial conhecer o tipo de amostra necessária para cada análise.


Tipo de Análise - Tipo de Amostra Bioquímica e Sorologia - Soro ou plasma Hematologia - Sangue total com EDTA Glicemia - Plasma com fluoreto de sódio Coagulação - Plasma com citrato de sódio
Tubos para coleta
A amostra deve ser coletada em tubos específicos para cada tipo de análise, sendo de extrema importância conhecê-los para a realização correta do exame. O material colhido em recipiente inadequado será rejeitado e descartado pelo laboratório p…

Conheça os principais meios de cultura

O crescimento dos microrganismos nos diferentes meios de cultura utilizados fornece as primeiras informações para a sua identificação. É importante conhecer o potencial de crescimento de cada meio de cultura e adequar ao perfil bacteriano esperado para cada material.


Alguns procedimentos são essenciais na hora da preparação de cada meio de cultura para a obtenção de melhores resultados e evitar contaminações, como nos diferentes casos: quando distribuir o meio antes de autoclavar, os tubos não precisam estar esterilizados; quando distribuir o meio após a autoclavação, os tubos, frascos, placas, pipetas e vidrarias ou materiais auxiliares obrigatoriamente devem ser estéreis e os meios devem ser autoclavados com as tampas semi-abertas, para que a esterilização seja por igual em todo o conteúdo dos tubos - tampas fechadas não permitem a entrada do vapor.

Ágar nutriente (AN)

Meio relativamente simples, de fácil preparo e barato, muito usado nos procedimentos do laboratório de microbiologi…

Vírus Epstein-Barr

O vírus Epstein-Barr, frequentemente referido como EBV, é um membro da família dos herpesvírus e um dos mais comuns nos humanos. O vírus ocorre em todo o mundo, e a maioria das pessoas é infectada com EBV em algum momento durante suas vidas.


Crianças tornam-se suscetíveis ao EBV tão logo a proteção de anticorpos maternos (presente no nascimento) desaparece. Muitas crianças são infectadas com EBV, e essas infecções geralmente não causam sintomas ou são indistinguíveis. Nos países desenvolvidos, muitas pessoas não estão infectadas com EBV na infância. Quando a infecção com EBV ocorre durante a adolescência ou na idade adulta jovem, provoca a mononucleose infecciosa em 35% a 50% dos casos.

Os sintomas da mononucleose infecciosa são febre, dor de garganta e aumento dos gânglios linfáticos. Às vezes, há o envolvimento do fígado e do baço. Problemas cardíacos ou envolvimento do sistema nervoso central ocorrem raramente, e a mononucleose infecciosa quase nunca é fatal. Não há associações co…