12 agosto, 2014

Equipamento de Proteção Individual - EPIs

Todo profissional deve conhecer os riscos em que estão expostos diariamente no ambiente de trabalho. Na área da saúde, particularmente a Biomedicina, não é diferente. Profissionais biomédicos estão diariamente em risco de acidentes por estarem expostos fisicamente e a substâncias químicas. Para segurança durante atividades na área de trabalho, prevenção e cuidados devem ser tomados e levados a sério pelo profissional. Um desses cuidados é o uso de Equipamentos de Proteção Individual - EPIs.

O Equipamento de Proteção Individual - EPI é todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado a proteção contra riscos capazes de ameaçar a sua segurança e a sua saúde (Pantaleão, 2012). No Brasil, o uso destes dispositivos ou produtos para proteção e segurança é regulamentado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), através da Norma Regulamentadora Nº. 06 - Equipamento de proteção individual, dada pela Portaria N.º 25, de 15 de outubro de 2001, publicada no DOU em 17 de outubro de 2001 e periodicamente sendo atualizada por instruções normativas e portarias.

Conforme dispõe a Norma Regulamentadora 6, a empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas seguintes circunstâncias:

a) sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenças profissionais e do trabalho;

b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; e

c) para atender a situações de emergência.

   É necessário que todo EPI tenha uma certificação de aprovação que seja emitido pelo Ministério do Trabalho, passando assim por testes rigorosos em laboratórios credenciados pelo mesmo. O uso indevido dos EPIs, ao invés de proteger, poderá ocasionar acidentes.

Foto: Biomedicina em Ação

NORMA REGULAMENTADORA 6 - NR 6 - Ministério do Trabalho e Emprego (MTE)


Responsabilidades do empregador. (alterado pela Portaria SIT/DSST 194/2010)

Cabe ao empregador quanto ao EPI :

a) adquirir o adequado ao risco de cada atividade;

b) exigir seu uso;

c) fornecer ao trabalhador somente o aprovado pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho;

d) orientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservação;

e) substituir imediatamente, quando danificado ou extraviado;

f) responsabilizar-se pela higienização e manutenção periódica; e,

g) comunicar ao MTE qualquer irregularidade observada.

h) registrar o seu fornecimento ao trabalhador, podendo ser adotados livros, fichas ou sistema eletrônico. (Inserida pela Portaria SIT/DSST 107/2009)

Responsabilidades do trabalhador. (alterado pela Portaria SIT/DSST 194/2010)

Cabe ao empregado quanto ao EPI:

a) usar, utilizando-o apenas para a finalidade a que se destina;

b) responsabilizar-se pela guarda e conservação;

c) comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para uso; e,

d) cumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado.





Os Equipamentos de Proteção individual são divididos em grupos de acordo com a zona corporal a proteger. Para profissionais da área da saúde, estes equipamentos de proteção são de fundamental importância. Alguns são:

Proteção da cabeça: 

- Gorro ou touca: Previne contra gotículas, aerossóis e até mesmo do próprio cabelo.

- Capuz: Não é muito utilizado, mas é de extrema importância para quem trabalha com produtos químicos.



Fotos: Data Equipamentos e Solução epi


Proteção Respiratória:

- Respirador purificador de ar para proteção das vias respiratórias.


Foto: Biosafety Level





Proteção Ocular e Facial:

- Óculos de segurança: Proteção dos olhos contra partículas voláteis, radiação e respingos de produtos químicos.

- Protetor facial de segurança: Proteção da face contra partículas volantes e respingos de produtos químicos.


Fotos: HSJ e Biomedicina em Ação


Proteção de mãos e braços:
- Luva de segurança: Proteção das mãos contra agentes biológicos e agentes cortantes e perfurantes.

Foto: Biomedicina em Ação

Proteção para o corpo:

- Aventais (Jalecos) ou uniformes de algodão.

Foto: Biomedicina Brasil

Proteção para pés e pernas:

- Calça longa, sapato fechado e, em alguns casos, bota e outros equipamentos.


Fotos: Biomedicina em Ação

   É importante lembrar que os EPIs são de uso em área de trabalho, principalmente o jaleco. NÃO use o jaleco fora do seu local de trabalho. E lembre-se que os EPIs podem salvar sua vida, então use-os adequadamente e exija que seu local de trabalho mantenha-os sempre à disposição.




Fonte:

Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). (26 de Fevereiro de 2012). Fonte: Biomedicina em Ação: http://biomedicinaemacao-unip.blogspot.com/2012/02/equipamentos-de-protecao-individual.html. Acesso em: 11/08/2014

NORMA REGULAMENTADORA 6 - NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. (s.d.). Fonte: Guia Trabalhista: http://www.guiatrabalhista.com.br/legislacao/nr/nr6.htm

Pantaleão, S. F. (15 de Maio de 2012). EPI - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - NÃO BASTA FORNECER É PRECISO FISCALIZAR. Fonte: Guia Trabalhista: http://www.guiatrabalhista.com.br/tematicas/epi.htm


COMPARTILHE

Autor(a):

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.