Bem Estar

A ergonomia na microscopia

A microscopia simplifica e melhora as tarefas de observação em um laboratório, mas tal atividade estendida por várias horas, pode comprometer os olhos, o tronco e as extremidades. Talvez muitas pessoas não saibam que o utilizador de um microscópio está sujeito a um maior desgaste físico do que uma outra que trabalhe em frente a um computador. A necessidade da configuração de uma postura adequada deve ser adaptada a cada indivíduo, já que cada pessoa possui características diferentes: altas ou baixas, magras ou fortes.

Principais queixas resultantes de postura errada (Imagem: Leica Microsystems).

Muitas vezes a altura do microscópio é incompatível com o tamanho do utilizador. Nesses casos, o desconforto físico e a redução do desempenho rapidamente aparece. Se o ponto de observação é muito baixo, o utilizador deve encurvar-se muito, provocando contrações musculares no pescoço e na nuca.

O microscópio ideal permite adaptar o ângulo e a altura de observação conforme a altura do utilizador. A regulagem da altura de visão é o método mais eficaz de prevenir a postura estática de usuários ao microscópio, possibilitando-os de sentar como desejem e mudarem de posição quando julgarem conveniente.

Regulagem da altura de observação (Imagem: Leica Microsystems).

A mudança de uma postura ereta para uma um pouco mais relaxada é possível adaptando a altura do assento. É conveniente mover-se periodicamente para evitar uma queda de desempenho e o início de sintomas de fadiga.

Postura relaxada e postura ereta (Imagem: Leica Microsystems).

Controles na mão
Para os elementos principais da microscopia como zoom e foco, deve-se ser considerados dois aspectos: primeiro, estes elementos devem estar em uma posição baixa e em segundo lugar, os itens devem ser operados com os antebraços sobre a mesa e os ombros relaxados. Também deve-se evitar ter de esticar excessivamente o braço para acionar os elementos, a fim de não sobrecarregar excessivamente a cintura escapular. De um ponto de vista ergonômico, a postura ideal do antebraço é horizontal ou ligeiramente inclinada para baixo, com as mãos apoiadas em uma superfície estável. Os botões de controle deve ser comandados normalmente e não serem excessivamente rígidos ou moles.

A importância do assento e da mesa
Estes componentes reguláveis ​​em altura (e inclinação) devem assegurar que as costas, cabeça, braços, mãos e pernas do utilizador estejam sempre em uma posição natural. Como geralmente o trabalho frente ao microscópio dura várias horas e requer um alto nível de concentração, a posição ergonômica é de grande importância. Assim, para garantir o conforto no trabalho devem ser fornecidos uma mesa de altura ajustável, que proporcione uma superfície de apoio larga para os braços, e um assento com encosto alto, que se adapte à altura do utilizador. O encosto deve permitir inclinações até 120° ou, se o trabalho necessita de uma postura inclinada para a frente, o usuário não deve se encurvar mais do que 20°.

Postura correta na microscopia.

O desempenho do usuário de um microscópio não depende apenas do ergonomia no local de trabalho, mas também de como ele está localizado. Assim, fatores como clima, luz, ruído e vibração influenciam fortemente o desempenho. Condições de luz no ambiente e sob o microscópio podem ajudar reduzir a tensão ocular. A diferença de luminosidade entre o local de trabalho e o campo visual do microscópio não deve ser muito grande. Para conseguir um conforto visual, é aconselhável que o ambiente de trabalho esteja iluminado por igual e que qualquer tipo de brilho por fontes de luz ou reflexões seja eliminado.

Intervalos diminuem o estresse
É aconselhável alterar periodicamente a atividade do usuário para que este realize uma tarefa não relacionada estritamente à observação. Nos casos em que não seja possível mudar as tarefas, recomenda-se reduzir o tempo de trabalho diariamente. De acordo com estudos, os músculos e os olhos recuperam-se rapidamente quando usuários fazem pausas breves.

As pessoas que trabalham com um microscópio têm uma elevada responsabilidade. Ao escolher um empregado, o empregador deve observar não só as suas qualidades, como capacidade de concentração e de precisão, mas também a sua capacidade visual e nível de resistência muscular. Pessoas com artrite, problemas nas costas e circulatórios têm risco de piorarem ao trabalhar regularmente com um microscópio, portanto não são indicadas para este tipo de atividade.

Trabalho com saúde
Há vários fatores que influenciam o rendimento de um profissional no ambiente de trabalho e este deve reunir as condições suficientes para que os utilizadores tenham mais motivação e melhor rendimento durante a jornada. Sendo assim, os principais aspectos que favorecem o profissional da microscopia são a existência de processos de trabalho variados, frequentes pausas durante o dia, treinamento e conscientização dos trabalhadores. Recomenda-se também a prática de esportes, pois contribui para o bem-estar e evita sintomas como o cansaço muscular e articular durante a atividade.


Referência
Leica Microsystems

Artigo por: Raphael Gonçalves Nicésio

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.

Licença Creative Commons
Esta publicação está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. Não é permitido duplicar, copiar ou reproduzir qualquer parte sem autorização prévia.

0 comentários:

Postar um comentário

2007-2016. Biomedicina Brasil. Tecnologia do Blogger.