Hematologia

Problemas na coleta de sangue


Em princípio, qualquer veia dos membros superiores pode ser puncionada, desde que apresente boas condições como bom calibre, flexibilidade e integridade. O surgimento de hematomas após a coleta pode ocorrer, mas algumas medidas ajudam a fazê-lo desaparecer.

Para tentar evitar o hematoma, deve-se pressionar o local da punção por, no mínimo, três minutos. Também é necessário evitar flexionar o braço, massagear o local e fazer esforço físico no período posterior à coleta. Procure observar se não há relógio, pulseira ou qualquer outro tipo de acessório que esteja garroteando o braço.

Se ainda assim o hematoma aparecer, faça uma compressa de gelo por quinze minutos a cada hora, durante as seis primeiras horas. Após essa medida, compressas mornas podem ser colocadas no local para acelerar o desaparecimento do hematoma. Se houver qualquer outra reação ou dor no local, entre em contato com o laboratório ou um médico.

Veja abaixo alguns problemas que podem ocorrer durante a coleta de sangue e como resolvê-los. Ao verificá-los, mantenha-se calmo e tranquilize o paciente. Analise a situação e adote a conduta cabível.

Em qualquer um dos casos, se o problema não for resolvido, retire a agulha, cubra o local puncionado com algodão e pressione. Escolha um novo local, faça a antissepsia e realize nova punção.


Você puncionou a veia e o sangue não fluiu para o tubo.


O que pode ter acontecido?
1 - Transfixação da veia.
2 - Erro na direção da agulha.


Transfixação da veia.
Erro na direção da agulha.

O que fazer para resolver?
1 - Retroceda um pouco a agulha para que ela volte para dentro da veia.
2 - Localize a veia com sua mão livre e redirecione a agulha.

Você puncionou a veia e o fluxo sanguíneo foi interrompido.


O que pode ter acontecido?
1 - Transfixação da veia.
2 - É possível que a agulha esteja encostada na parede da veia
3 - Estenose ou colabamento da veia.
4 - O bisel está encostando na parede superior da veia.
Transfixação da veia.
Estenose ou colabamento da veia.

Bisel na parte superior da veia.

O que fazer para resolver?
1 - Retroceda um pouco a agulha para que ela volte para dentro da veia.
2 - Retroceda um pouco a agulha e gire sutilmente o adaptador ou a seringa para permitir o restabelecimento do fluxo.
3 - Retire o garrote para permitir o restabelecimento da circulação. Tente virar lentamente o adaptador ou a seringa para que o bisel seja desobstruído e permita a recomposição da veia. Se o tubo perder o vácuo, troque de tubo e lembre-se de identificá-lo ao final do procedimento. Se o problema não for resolvido, retire a agulha e faça uma nova punção em outro local.
4 -  Aumente o ângulo da agulha em relação ao braço e depois avance a agulha no interior da veia para permitir o fluxo sanguíneo.

Sangramento externo contínuo no local da punção.


O que pode ter acontecido?
O bisel penetrou apenas parcialmente na veia.

Bisel parcialmente penetrado na veia.

O que fazer para resolver?
Corrija o problema introduzindo a agulha corrretamente na veia. Se o tubo perder o vácuo, troque de tubo e lembre-se de identificá-lo ao final do procedimento.

Formação de edema ou hematoma após a punção.


O que pode ter acontecido?
A veia rompeu ou ocorreu extravasamento de sangue sob a pele.

Veia rompida.

O que fazer para resolver?
Interrompa imediatamente a coleta. Comprima o local e aplique uma compressa de gelo.

O sangue flui de forma pulsátil.


O que pode ter acontecido?
Uma artéria foi puncionada.

Artéria puncionada.

O que fazer para resolver?
Interrompa imediatamente a coleta e comprima o local ao menos por 5 minutos. Em seguida cubra o local puncionado com curativo oclusivo.


Fonte:
Coleta de Sangue - diagnóstico e monitoramento das DTS, AIDS e Hepatites virais.
Galena, HJ. Complications occuring fom diagnostic venipuncture. J. Fam. Pract. 1992;34:582-4.

Artigo por: Raphael Gonçalves Nicésio

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.

Licença Creative Commons
Esta publicação está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. Não é permitido duplicar, copiar ou reproduzir qualquer parte sem autorização prévia.

0 comentários:

Postar um comentário

2007-2016. Biomedicina Brasil. Tecnologia do Blogger.