Fisiologia

Sintomas das alergias

As alergias são definidas como reações do corpo a certos indutores externos. Embora ninguém saiba ao certo por que as alergias surgem, a maioria das pessoas aprendeu a lidar com as alergias, atenuando-as. Por exemplo, pessoas que são alérgicas a frutos do mar sabem que não devem comer camarão no jantar, e aqueles que são alérgicos ao pólen optam por ficar em casa durante a primavera. Se você não tem alergias conhecidas, como você sabe se os sintomas apresentados estão relacionados com uma reação alérgica? 
A primeira coisa que você precisa entender sobre os sintomas alérgicos é que existem vários graus de severidade. Sintomas suaves são aqueles que são tipicamente irritantes para a maior parte, mas não envolvem risco de morte. Sintomas moderados incluem aqueles que podem causar graves perturbações à vida normal e, normalmente, se espalham para outras partes do corpo. Enquanto isso, os sintomas alérgicos graves são aqueles que oferecem risco de morte e necessitam de assistência médica imediata. 
Sintomas comuns da alergia que se enquadram na categoria leve, são as erupções cutâneas, congestão e coceira com olhos lacrimejantes. Às vezes também pode haver espirros, particularmente no caso de alergias respiratórias. Estes são tipicamente limitados a apenas um lado do corpo, nesse caso, a face. Também são os sintomas típicos que os médicos alertam os pais quando introduzem novos alimentos sólidos na dieta de bebês. Às vezes, alergias alimentares em bebês também são detectadas através de diarreia ou vômitos, embora felizmente não provoquem reações graves na maioria dos casos. Por exemplo, muitos bebês são alérgicos a soja, mas superam-la quando atingem dois anos. Outros alimentos que são propensos a reações alérgicas em crianças são morango e amendoim, mas esses tipos de alergias também podem ser superados. 
Reações moderadas a uma alergia, que se espalham para outras partes do corpo, incluem coceira e dificuldade para respirar. Estas indicam uma reação mais séria em relação aos sintomas leves, e normalmente manifestam-se entre filhos crescidos e adultos. A asma é uma espécie de alergia que pode incluir dificuldade respiratória como um sintoma. 
Entretanto, reações graves a um alérgeno são coletivamente denominados anafilaxia. Este é o estado em que a resposta de um organismo a um alérgeno vem subitamente e, em seguida, afeta todo o corpo. Como tal, considera-se uma situação de emergência com risco de morte, embora rara na ocorrência. Tipicamente, a anafilaxia começa com uma comichão súbito da face ou olhos, mas progride para sintomas mais graves em questão de minutos. Estes sintomas podem incluir inchaço em diferentes graus por todo o corpo, o que torna a deglutição e respiração difícil. O inchaço também ocorre tipicamente sob a pele e não sobre a superfície. Pode também ser acompanhado de dor no estômago, cólicas, diarreia, vômitos, tontura e confusão mental. A resposta também é marcada por baixar a pressão arterial, urticária e vasos sanguíneos dilatados. Quando não for devidamente controlada e em casos graves, uma pessoa que sofre de anafilaxia pode entrar em choque e o tratamento imediato é necessário. 
Quando você ou uma pessoa com quem você está de repente apresenta esses sintomas, é melhor ir ao pronto-socorro. Se você por acaso souber realizar a ressucitação, certamente virá a calhar, pois às vezes pode ser exigida como primeiros socorros. A urgência não pode ser subestimada, já que a anafilaxia pode rapidamente causar um aumento do ritmo cardíaco, uma queda súbita da pressão arterial, fraqueza repentina, choque e, possivelmente, inconsciência ou morte. 
Curiosamente, há certos tipos de alergias que são mais propensos a causar reações graves do que outros. Por exemplo, a alergia a amendoim é uma alergia alimentar, que é considerada com alto risco a reações graves. Pode tornar-se aparentemente muito grave com uma progressão muito rápida, até mesmo ao ponto de ser fatal. Alergia a picada de abelha também é outra alergia possivelmente fatal, e se manifesta de uma forma que é diferente de uma reação normal a uma picada de abelha. Especialistas também acreditam que certos indutores aumentam o risco de reações alérgicas graves, tais como o exercício depois de comer alimentos que provocam alergia. Enquanto isso, alérgenos inalados como o pólen são considerados para estar entre as causas menos possíveis de reações graves. 
Então, como reações alérgicas graves são tratadas? O tratamento que tem sido visto com rápida efetividade é a injeção de epinefrina. Esta substância é adrenalina, e é utilizada para uma rápida inversão anafilática. Tipicamente, um dispositivo de injecção automática aplica a substância na pessoa. Além da epinefrina, outros tratamentos para o choque anafilático incluem a aplicação intravenosa de fluidos, bem como medicamentos que atuam para manter as funções do sistema circulatório, particularmente o coração. Após a estabilização, a pessoa pode ser medicada com anti-histamínicos e corticóides para reduzir os sintomas.

Artigo por: Raphael Gonçalves Nicésio

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.

Licença Creative Commons
Esta publicação está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. Não é permitido duplicar, copiar ou reproduzir qualquer parte sem autorização prévia.

0 comentários:

Postar um comentário

2007-2016. Biomedicina Brasil. Tecnologia do Blogger.