Últimas Novidades

Tubos para coleta de sangue

Os tubos de coleta de sangue são estéreis, feitos de vidro ou plástico e alguns possuem vácuo. Comumente utilizados em punções venosas, eles são projetados para a coleta, transporte e processamento das amostras.

O interior destes tubos pode ser revestido com anticoagulantes e as vedações preservam a integridade da amostra até a chegada ao laboratório. Embora não seja necessário ao coletor conhecer todos os detalhes sobre os procedimentos analíticos dos testes hematológicos, é essencial conhecer o tipo de amostra necessária para cada análise.


Tipo de Análise e amostras necessárias
Bioquímica e Sorologia - soro ou plasma
Hematologia - sangue total com EDTA
Glicemia - plasma com fluoreto de sódio
Coagulação - plasma com citrato de sódio
Gasometria - sangue total com heparina

Tubos corretos para cada coleta

A amostra deve ser coletada em tubos específicos para cada tipo de análise, sendo de extrema importância conhecê-los para a realização correta do exame. O material colhido em recipiente inadequado será rejeitado e descartado pelo laboratório pois não terá validade para a realização da análise. Todos os tubos devem ser homogeneizados imediatamente após a coleta. Deve-se invertê-los de 5 a 8 vezes, suavemente. Tubos homogeneizados inadequadamente poderão conter pequenos coágulos sanguíneos que diminuem a utilidade do tubo.
DEVE-SE RESPEITAR RIGOROSAMENTE O VOLUME CRÍTICO DE AMOSTRA INDICADO PARA CADA TIPO DE TUBO.
Quando o paciente possui mais de um exame solicitado e estes exames necessitam de materiais diferentes que devem ser coletados em recipientes diferentes, deve-se obedecer uma sequência para coleta dos materiais para que não haja contaminação dos aditivos de um tubo para outro, o que ocasiona alterações em parâmetros analíticos. A sequência para a coleta de sangue é tubo com citrato de sódio (tampa azul), tubo sem anticoagulante (tampa vermelha ou tampa amarela), tubo com heparina (tampa verde), tubo com EDTA (tampa roxa) e tubo com fluoreto de sódio (tampa cinza).


Quando o paciente tiver apenas exames de coagulação, deverá ser coletado primeiro um tubo de descarte. Isso é devido ao fato de o primeiro fluxo de sangue coletado conter os fatores de coagulação, principalmente a protrombina, que altera os resultados.

Análises de Coagulação

Quando se pretende realizar análises de coagulação, deve-se coletar uma amostra de plasma no tubo de tampa azul. Este tubo contém o anticoagulante CITRATO DE SÓDIO e a amostra deve ser cuidadosamente homogeneizada por inversão de 5 a 8 vezes para evitar hemólise e a coagulação do sangue.

Análises Bioquímicas e Sorológicas

Quando se pretende realizar análises bioquímicas ou sorológicas, deve-se coletar uma amostra de soro no tubo de tampa vermelha ou no tubo de tampa amarela com gel separador. Estes tubos contém o ATIVADOR DE COÁGULO e a amostra deve ser homogeneizada por inversão de 5 a 8 vezes para evitar hemólise, mantida em repouso para retração do coágulo e centrifugada a 3.000 rpm durante 10 minutos para separação.

Análises Bioquímicas

Quando se pretende realizar análises bioquímicas, gasometria ou outros exames, deve-se coletar uma amostra de sangue total ou plasma no tubo de tampa verde. Este tubo contém o anticoagulante HEPARINA e a amostra deve ser cuidadosamente homogeneizada por inversão de 8 a 10 vezes para evitar hemólise e a coagulação do sangue.

Análises Hematológicas

Quando se pretende realizar análises hematológicas, deve-se coletar uma amostra de sangue total no tubo de tampa roxa. Este tubo contém o anticoagulante EDTA e a amostra deve ser cuidadosamente homogeneizada por inversão de 5 a 8 vezes para evitar hemólise e a coagulação do sangue.

Análises Glicêmicas

Quando se pretende realizar análises de glicemia, deve-se coletar uma amostra de plasma no tubo de tampa cinza. Este tubo contém FLUORETO DE SÓDIO e a amostra deve ser cuidadosamente homogeneizada por inversão de 5 a 8 vezes para evitar hemólise e a coagulação do sangue.

Assista ao vídeo e entenda melhor!