Microbiologia

Escherichia coli entero-hemorrágica O104:H4

A Escherichia coli entero-hemorrágica (EHEC) é uma bactéria patogênica do ser humano capaz de causar colite hemorrágica (diarreia sanguinolenta), que às vezes se desenvolve em Síndrome Hemolítica-Urêmica  (SHU). A SHU é uma doença fatal que causa danos aos rins e é uma complicação grave da infecção pela bactéria. A EHEC também é conhecida por E. coli produtora de Shigatoxina (STEC), ou como produtora de Verocitotoxina (VTEC). Os animais podem transportar outros tipos de STEC/VTEC em seus intestinos que não são necessariamente patogênicos para os seres humanos.
O sorotipo de EHEC, O104: H4, isolado nos casos do surto da infecção por EHEC na Alemanha, são raros e já vistos em humanos anteriormente, mas nunca em um surto. Isto foi confirmado pelo Centro Colaborador de Referência e Pesquisa em Escherichia e Klebsiella, na Dinamarca. As autoridades informam que a cepa do surto é EHEC sorotipo O104: H4, ou mais precisamente uma estirpe de E. coli enteroagregativa produtora de Verocitotoxina (VTEC EAggEC) O104:H4. O número O designa o tipo de antígeno na superfície da membrana bacteriana e o número H designa o tipo de antígeno no flagelo.

Epidemiologia
 
A fonte da infecção ainda não foi identificada e uma intensa investigação está sendo realizada para encontrá-la. Brotos de feijão contaminados, alface, tomate e/ou pepinos são os veículos mais prováveis de infecção, mas isso ainda não está comprovado. Surtos de Escherichia coli ocorrem geralmente por alimentos.
As bactérias são transmitidas por via fecal/oral e a ingestão de alimentos contaminados é um veículo comum de infecção, muitas vezes através de produtos contaminados crus ou mal cozidos, como carne, leite e produtos frescos. Outras fontes de infecção por EHEC são água contaminada, contato com animais, com outros pacientes afetados e se o controle adequado da infecção não é praticado. O período de incubação é geralmente de 48 à 72 horas, mas pode variar de 1 a 10 dias.
Sintomas da doença incluem cólicas abdominais e diarreia, que pode ser sanguinolenta. Febre e vômitos também podem ocorrer. A maioria dos pacientes se recupera dentro de 10 dias. Em alguns casos, no entanto (particularmente em crianças pequenas e idosos, embora esses grupos não predominam no surto atual), a infecção pode levar a uma doença fatal, como a Síndrome Hemolítica-Urêmica (SHU). 
Na Alemanha, 61% dos casos EHEC e 70% dos casos de SHU são do sexo feminino (a partir de 03 de junho de 2011). O motivo é desconhecido, mas pode ser porque as mulheres adultas estão mais expostas à fonte de contaminação. É muito raro ter resultados tão graves como SHU em adultos jovens e de meia-idade, já que os grupos normais de alto risco são crianças pequenas e idosos. Alguns casos também ocorreram em crianças em idade escolar.

Prevenção

Em geral, as medidas para evitar a infecção por E. coli enterohemorrágica (EHECsão semelhantes aos recomendados para outras doenças transmitidas por alimentos, incluindo boas práticas básicas de higiene alimentar, como descreve a Organização Mundial de Saúde para uma alimentação mais segura. O principal conselho é lavar as mãos após usar o banheiro e antes de consumir alimentos sempre com água limpa, especialmente se for consumido cru, e evitar a contaminação cruzada ao preparar alimentos.


Organização Mundial de Saúde

Artigo por: Raphael Gonçalves Nicésio

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.

Licença Creative Commons
Esta publicação está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. Não é permitido duplicar, copiar ou reproduzir qualquer parte sem autorização prévia.

0 comentários:

Postar um comentário

2007-2016. Biomedicina Brasil. Tecnologia do Blogger.