Bioquímica

Bioquímica Celular

As estruturas químicas da célula são divididas em dois grandes grupos: substâncias inorgânicas (água e sais minerais) e substâncias orgânicas (vitaminas, carboidratos, lipídeos, proteínas e ácidos nucléicos).

Estrutura da célula.

Substâncias inorgânicas

Águaé considerada o solvente universal, pois tem grande força de adesão, ou seja, a união de moléculas polares. As substâncias que se dissolvem na água são chamadas de hidrofílicas e as que não dissolvem são chamadas hidrofóbicas. A água participa da maioria das reações químicas e essa reação pode ser feita de duas maneiras:

Molécula de água.

- Reações de síntese por desidratação: quando na união há a liberação de uma molécula de água.
- Reações de hidrólise: a molécula é quebrada em duas e nesse processo há a entrada de molécula de água.

Sais minerais - como já diz o nome são os sais extraídos de minérios, eles têm função esquelética ou estrutural. São dissolvidos em água e são fundamentais ao metabolismo celular.

Molécula de sal (NaCl).

Substâncias orgânicas

Vitaminassão substancias orgânicas essenciais para o metabolismo das células. Quimicamente podemos dizer que as vitaminas são dissolvidas em dois tipos de substâncias: existem as vitaminas hidrossolúveis (B¹² e C), que dissolvem em água, e as lipossolúveis (D e E), que são dissolvidas em lipídeos.


Carboidratostambém chamados de glicídios, hidratos de carbono ou açúcares, são divididos em três grupos:

Estrutura de um carboidrato.

1. Monossacarídeos: são os carboidratos mais simples, sua forma geral é composta da seguinte maneira: (CH2O) ⁿ. Por isso são chamados de hidratos de carbono, tem água e carbono em sua fórmula. De acordo com o valor de N de cada monossacarídeo recebe um nome específico: triose, tetrose, pentose, hexose. Dentre as principais pentoses existentes destacam a ribose e desoxirribose que participam da síntese dos ácidos nucléicos. Dentre as hexoses destacam a frutose e a glicose importantes fontes de energia.

2. Dissacarídeos: é a união de dois monossacarídeos, um exemplo é a sacarose, a união da glicose com a frutose. Nessa reação de união ocorre a síntese por desidratação, onde a liberação de uma molécula de água. Inversamente, para quebrar uma molécula de dissacarídeo devemos utilizar a quebra pó hidrolise, entrada de uma molécula de água em uma substancia. É importante lembrar que para o corpo utilizar a fonte de energia de um dissacarídeo, ele tem que quebrar suas moléculas por meio da hidrolise. São solúveis em água.

3. Polissacarídeos: são formados por varias moléculas de monossacarídeos, formando imensas cadeias de energia. Eles são insolúveis à água e assim são extremamente importantes para o metabolismo do organismo, pois servem com fonte de energia fixa e também de componentes estruturais das células.

Lipídeos - abrangem uma grande variedade de funções e se caracterizam por serem insolúveis em água. Dividem-se nos seguintes grupos:

Estrutura lipídica.

1. Carotenóides: são aqueles que atuam como pigmentos acessórios nas plantas no momento da fotossíntese. Existem dois grupos de carotenóides: o caroteno e as xantofilas. Existem ainda aqueles que atuam na alimentação humana e tem função de renovar as células da pele e de evitar a cegueira.

2. Triglicerídeos: são representados pelos óleos e pelas gorduras e formados pela união de três moléculas de acido graxo com glicerol. Sua decomposição é feita por hidrolise, onde há a separação dos ácidos graxos. Os óleos são encontrados em plantas e raramente em animais. Já as gorduras são encontradas facilmente em animais, acumulando em células adiposas tendo função de reserva energética e proteção com a perda de calor. Os ácidos graxos são divididos em dois grupos:

- Saturados: formam a gordura animal e fica armazenada nas células
- Insaturados: formam os óleos presentes nas plantas

Alguns ácidos graxos são considerados essenciais, pois não há a produção dele no organismo, sendo assim que devemos obtê-lo por meio da alimentação.

3. Fosfolipídeos: são formados por duas moléculas de acido graxo contendo fosfato e uma molécula de glicerol. Um grande exemplo desse subgrupo é a membrana plasmática que é formada por duas camadas de fosfolipídeos com proteínas imersas, o que é chamada de camada lipoprotéica. Uma característica exclusiva é que metade da substancia é solúvel a água (hidrofílica) e outra metade não é solúvel a água (hidrofóbica). Essa camada da membrana plasmática tem uma particularidade, as suas dimensões são fluidas, ou seja, permitem a passagem de substancias e depois ela é fechada como se fosse uma porta.

4. Cerídeos: são as ceras em geral. Têm a importância de impermeabilização da superfície de frutos, folhas com o objetivo de evitar a perda de água.

5. Esteróides: são os lipídeos relativamente complexos, destacando o colesterol abundante nos tecidos animais. Ele tem varias funções dentro do organismo e em quantidade normal faz bem a saúde, mas em excesso pode trazer prejuízos e acarretar doenças. Nas plantas e fungos não existe o colesterol e sim outros esteróides com a mesma função.

Proteínassão macromoléculas formadas basicamente de aminoácidos. Esses têm em resumo, moléculas de carbono, nitrogênio, oxigênio e hidrogênio. As proteínas têm diversas funções dentro do organismo e em geral podemos dizer que elas têm função energética e estrutural. Exemplos de proteínas são as enzimas, responsável pela aceleração das reações químicas, os anticorpos, responsáveis pela defesa do organismo, a insulina, a albumina, a queratina, o colágeno, entre outras. Podem ser classificadas em simples e conjugadas, onde a única diferença entre as duas é que a simples é composta por apenas um aminoácido e a conjugada tem outros componentes como é o caso da hemoglobina que tem moléculas de ferro em sua estrutura.

Estrutura protéica.

Aminoácidos: como o nome já diz, os aminoácidos possuem dois grupos em sua estrutura química: o grupo amina (NH2) e o grupo ácido (COOH). Esse grupamento está ligado ao mesmo carbono que está ligado com o hidrogênio e um radical que varia de aminoácido para aminoácido. As células vegetais sintetizam todos os vinte aminoácidos necessários à sobrevivência, já os animais não sintetizam precisando assim ingeri-los por meio da alimentação. Desse modo obtemos o seguinte conceito: os aminoácidos presentes naturalmente no organismo são chamados de naturais e os que precisamos ingerir são chamados de essenciais.

Ligação peptídica: é a ligação que une aminoácidos, caracterizada pela junção do grupo amina de uma, aminoácido com o grupo carboxila (acido) de outro aminoácido. Essas ligações podem ser quebradas por meio de hidrolise voltando as moléculas ao estado inicial. Dois aminoácidos em uma ligação são chamados de dipeptideo, já a ligação com vários aminoácidos é chamada de polipeptídio, como é o caso da albumina, do ovo e a hemoglobina do sangue.

Estrutura da proteína: as proteínas são colocadas de diversas formas e segundos elas, determinam as funções e também a sua forma geométrica. Uma proteína em que se parece com um fio esticado esta em sua forma primária e assim as mesmas proteínas com os dobramentos vão caracterizando as estruturas secundaria, terciária e quartenária. Fica evidente a percepção quando uma proteína muda sua função quando se muda sua forma, onde mudando uma substancia na hemoglobina, ela prejudica seu funcionamento podendo até ser letal ao ser. Esse processo de mudança da forma da proteína pode ocorrer por desnaturação podendo até ser irreversível.

Ácidos nucléicosbasicamente existem dois tipos de ácidos nucléicos: o acido desoxirribonucléico (DNA) e o acido ribonucléico (RNA). O DNA é o principal constituinte dos cromossomos e o RNA é o responsável pela síntese das proteínas. Tanto o DNA quanto o RNA são formados por nucleotídeos e cada uma dessas moléculas é formada por: fosfato, açúcar (RNA ou DNA) e base nitrogenada. As bases nitrogenadas podem ser:

Estrutura do DNA.

- Púricas: adenina e guanina
- Pirimídicas: timina, citosina e uracila.

Enzimas - em geral, as reações químicas dentro do organismo são muito lentas e nem sempre ideal para a sobrevivência do ser. A solução para esse grande problema seria o aumento da temperatura, mas não seria ideal porque assim as proteínas seria também desnaturadas.

Estrutura enzimática.

Portanto, nos organismos existem proteínas extremamente importantes para o metabolismo em que aumentam a velocidade das reações químicas dentro do organismo sem elevar a temperatura. Além disso, são partículas intactas, em que ao exercerem a sua função continuam da mesma forma. Outra característica das enzimas é que elas são muito especificas e que prevalece a teoria da chave-fechadura onde as enzimas têm o formato ideal que encaixa perfeitamente no substrato em se quer fazer à reação. Um dos fatores que influenciam diretamente na atividade das enzimas é o pH ou índice de acidez do organismo, em que se esse não for favorável ao desenvolvimento da enzima, ela pode se tornar inativa.


Artigo por: Raphael Gonçalves Nicésio

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.

Licença Creative Commons
Esta publicação está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. Não é permitido duplicar, copiar ou reproduzir qualquer parte sem autorização prévia.

0 comentários:

Postar um comentário

2007-2016. Biomedicina Brasil. Tecnologia do Blogger.