Saúde Pública

Vuvuzelas podem causar danos à audição e traqueia

Hit atual da Copa do Mundo de 2010, as vuvuzelas, famosas cornetas sul-africanas tocadas freneticamente em todos os jogos da competição, podem causar sérios danos à audição e até mesmo podem lesionar partes da traqueia humana.
Pais e filhos precisam estar atentos ao uso do instrumento. Segundo um estudo realizado recentemente por pesquisadores do Departamento de Patologia da Comunicação da Universidade de Pretória (África do Sul), as vuvuzelas podem ocasionar a perda permanente da audição.
“O som que o instrumento emite é muito alto, e, quando o volume atinge ou passa de 80 decibéis, o torcedor já corre o risco de ter problemas na audição, por isso, é muito importante que as pessoas fiquem atentas a qualquer variação na sensibilidade auditiva. A sensação de zumbido contínuo no ouvido, por exemplo, é um dos sinais de perda da audição, que é um problema irreversível”, explica Maria do Carmo Branco, fonoaudióloga do Grupo Microsom, empresa de soluções auditivas brasileira.
O estudo foi realizado em um estádio de 30 mil lugares, durante o campeonato sul-africano. Antes de uma partida, 11 torcedores fizeram testes de audição. Depois, entraram no estádio usando um aparelho que pode medir a exposição ao som de cada pessoa e quatro dos voluntários receberam vuvuzelas para usar durante o jogo. Os equipamentos revelaram que a média de exposição ao som dos participantes foi de 100,5 decibéis, sendo que oito deles tiveram médias acima dos 140 decibéis. O mais lesionado ficou com 144,5 decibéis.
“Esse ruído é mais potente que o som emitido durante um tráfego de veículos (92 decibéis), por um helicóptero (97) e até por uma motosserra (100)”, diz a especialista. O nível de intensidade que o ouvido humano pode suportar, segundo a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia, é de 90 decibéis. Já o limite tolerável estipulado pela Organização Mundial de Saúde é de 80 decibéis.
Durante a Copa do Mundo, o perigo aumenta, pois o público dos jogos chega até 90 mil pessoas, três vezes mais que o estádio usado no estudo, portanto, o barulho é ainda maior.
A perda ou redução da capacidade auditiva de um indivíduo pode ocasionar problemas de ordem social, psicológica, estresse, irritação e até perda de autoestima e problemas para dormir. “Qualquer redução na sensibilidade auditiva é considerada perda auditiva e a pessoa precisa consultar um otorrinolaringologista e um fonoaudiólogo para realizar uma avaliação mais detalhada”, diz Maria do Carmo.
Uma jovem sul-africana, segundo o jornal britânico “Daily Mail”, arrebentou a traquéia ao soprar muito forte o instrumento esta semana. Yvonne Mayer, 29 anos, ficou sem conseguir falar ou comer durante dois dias depois do ocorrido, durante uma festa de rua em Cape Town.
Os médicos ficaram chocados com o diagnóstico de ruptura na garganta e ordenaram que ele ficasse em repouso absoluto até se curar. O bizarro acontecimento é o primeiro relato de acidentes na traqueia envolvendo vuvuzelas, desde que a Copa do Mundo começou, na semana passada.

Artigo por: Raphael Gonçalves Nicésio

Os artigos do blog são destinados a estudantes, profissionais e pessoas que se interessam pela biomedicina e demais áreas da saúde. O conteúdo não visa substituir as orientações de um médico, portanto não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação.

Licença Creative Commons
Esta publicação está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. Não é permitido duplicar, copiar ou reproduzir qualquer parte sem autorização prévia.

0 comentários:

Postar um comentário

2007-2016. Biomedicina Brasil. Tecnologia do Blogger.